27 de Outubro, 2016 - 09:35 ( Brasília )

Terrestre

Militares brasileiros que irão para o Haiti participam de exercício em Jaboatão dos Guararapes (PE)


CCOPAB

A tropa militar que assumirá a missão de paz no Haiti já está pronta para o embarque a Porto Príncipe. O fim dos preparativos foi marcado com a cerimônia de certificação do Batalhão de Força de Paz (BRABAT – sigla em inglês) que irá compor o 25º Contingente Brasileiro para a Missão de Estabilização do Haiti (MINUSTAH- sigla em francês). Coube ao Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) proceder à certificação, conforme normas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O ato marcou o término do Exercício Avançado de Operações de Paz 2016 (EAOP), desenvolvido, desta vez, no perímetro urbano em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. O exercício exigiu uma complexa logística de material e pessoal. Participaram militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de voluntários civis, tripulações de duas aeronaves da Aviação do Exército e representantes de órgãos de segurança pública local.

Durante a primeira semana da atividade, o BRABAT 25, composto por militares do Exército, da Marinha e de um pelotão de infantaria da Força Aérea Brasileira, foi empregado na reação a incidentes que simularam situações que podem ser encontradas no Haiti. A ênfase das ações foi na avaliação dos grupos de combate e pelotões. Todos os pelotões receberam a certificação da aptidão para o desdobramento na MINUSTAH.

O Estado-Maior do BRABAT, no contexto das operações de paz, também foi avaliado com a manutenção de incidentes de tropa no terreno e a exigência de um trabalho coordenado, similar ao que será encontrado no Haiti. Essa fase do estágio exige elevado grau de conhecimento das regras de engajamento e das demais considerações ao emprego da tropa em missões de paz.

O comandante do CCOPAB, coronel Carlos Augusto Ramires Teixeira, foi o diretor do EAOP, que contou também com as participações do comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada (10ª Bda Inf Mtz) e coordenador do preparo do 25º contingente brasileiro, general Francisco Humberto Montenegro Junior; do comandante do Batalhão de Infantaria de Força de Paz do 25º Contingente Brasileiro (BRABAT 25), coronel Roberth Alexandre Eickhoff; e comandante do Centro de Avaliação e Adestramento do Exército (CAADEX),  tenente coronel Urubatã Muterle Gama.

Comandante do BRABAT 23, o coronel Ricardo Pereira de Araújo Bezerra, que hoje está na Secretaria Geral do Ministério da Defesa, participou da apresentação das observações obtidas por Observador Controlador e Avaliador (OCA), tendo por base  experiências  durante a missão no 23º Contingente Brasileiro.

Eleições 2016: Forças Armadas reforçam segurança no 2º turno

Aproximadamente 13 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica irão reforçar a segurança para garantia da votação e apuração no 2º turno das eleições municipais desse ano.  Das 55 cidades que terão pleito eleitoral no país, até o momento, 12 contarão com as Forças Armadas a pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além do efetivo de 13 mil, outros 3,6 mil militares irão compor um contingente reserva que poderá ser acionado em caso de necessidade (Força de Contingência).

Com a finalidade de manter as condições necessárias para que a população possa exercer a cidadania e votar com tranquilidade, além de garantir a apuração, o Ministério da Defesa coordena a atuação das Forças Armadas no eixo segurança no fim de semana das eleições (29 e 30/10).

ara o Nordeste, foi solicitada a presença das tropas nos estados do Maranhão e Ceará, onde o efetivo será de cerca de 4,2 mil militares do Exército. Desse total, 600 serão alocados em São Luís e 3,6 mil em Fortaleza.

Já na região Sudeste, o pedido do TSE para atuação das Forças Armadas na garantia da votação e apuração, foi para o estado do Rio de Janeiro. Lá, cerca de seis mil militares atuarão em seis municípios: Rio de Janeiro, com tropas das três Forças, Belford Roxo, Nova Iguaçu, São Gonçalo, Niterói e Duque de Caxias.

Na região Sul, as Forças Armadas atuarão no estado do Paraná, nas cidades de Curitiba, Ponta Grossa e Maringá, com aproximadamente 1,5 mil militares.

Na região Norte, apenas a cidade de Manaus contará com o apoio de tropas federais, cerca de mil militares deverão reforçar a segurança nos locais de votação e apuração.

Para cumprir com suas funções, serão utilizadas 777 viaturas, sendo 14 blindados. 7 aeronaves da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, sendo quatro helicópteros.

Primeiro turno

Na área de atuação das Forças Armadas as eleições ocorreram sem intercorrências relevantes. No primeiro turno foram empregados cerca de 25,4 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica em 498 localidades de 16 estados brasileiros, tanto no apoio logístico quanto na segurança.

Coube ao Ministério da Defesa à coordenação do emprego das Forças Armadas nas eleições, bem como a interlocução com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para atuação das Forças Armadas no pleito deste ano, o presidente Michel Temer assinou um decreto, publicado no dia 23 de agosto, em que autorizou o emprego dos militares para a garantia da ordem pública, a fim de assegurar a votação e apuração das eleições.

As localidades e o período de atuação das Forças Armadas foram definidos conforme os termos de requisição do Tribunal Superior Eleitoral.