07 de Abril, 2016 - 14:30 ( Brasília )

Terrestre

EB - Promoção de Oficiais-Generais

Saudação do Chefe do Estado-Maior do Exército aos novos Oficiais-Generais

Senhoras e senhores, bom dia.

Bem-vindos ao Quartel-General do Exército!


Suas presenças emprestam um valor muito especial a este momento particularmente significativo na vida dos cinco oficiais perfilados diante de nós.


Senhores Generais de Brigada recém-promovidos!


Cumpro, mais uma vez, por delegação do nosso Comandante, a honrosa tarefa de saudá-los em nome do Exército Brasileiro.


Esta cerimônia, carregada de simbolismos e de emoção, finaliza mais um ciclo de promoções no qual os senhores, mercê de suas reconhecidas qualidades, foram escolhidos dentre tantos outros, igualmente valorosos companheiros, numa competição em que, com absoluta honestidade de propósitos, busca-se o resultado que melhor convier à Força Terrestre.


A espada que recebem hoje dos ilustres Chefes que escolheram como seus paraninfos é símbolo farto em significados.


Este gládio invicto sintetiza a autoridade que lhes é conferida, as responsabilidades que dela decorrem e a liderança que se espera dos senhores.


Ela lhes impõe, por outro lado, renovadas servidões: a coragem, a renúncia, o exemplo, a justiça e, hoje mais do que em qualquer outro momento de suas carreiras, a motivação de seus subordinados.


Os senhores assumirão seus novos e elevados encargos em momento nacional particularmente complexo.


Internamente, encontrarão a família militar duramente atingida pela penosa situação dos seus vencimentos, frustrada ao ver prematuramente consumido pelo retorno da inflação o plano quadrienal de reajuste.


Em suas novas Organizações Militares, encontrarão uma redução orçamentária que nos remete a valores do início do século, pondo em risco a continuidade dos nossos projetos estratégicos.


No campo político, posições antagônicas de surpreendente radicalismo ameaçam transbordar do campo civilizado do embate de ideias, trazendo à cena política nacional, pela primeira vez, intolerável truculência moral e física como instrumento de pressão.


Cabe-nos, como chefes militares, acompanhar a evolução desse cenário tão complexo, sempre atentos às diretrizes do nosso Comandante.


Zelem para que a resultante de todas as nossas ações aponte invariavelmente para a preservação do necessário ambiente de estabilidade no país.


Estejam permanentemente vigilantes para que não nos afastemos, sequer minimamente, dos limites legais no cumprimento de nossas missões.


Assegurem-se sempre de que suas decisões estejam firmemente assentadas no princípio da legitimidade.


Mantenham seus subordinados permanentemente informados. Mostrem-lhes que o Brasil é um país de instituições sólidas e maduras, e que o funcionamento harmônico de cada uma no cumprimento de seus respectivos papéis constitucionais indicará o caminho para a solução da crise atual.


Ensinem-lhes que uma democracia saudável só supera obstáculos com instituições consolidadas, jamais com soluções personalistas.


Conduzam suas ações de comando segundo as prioridades definidas para estes tempos de dificuldades: assegurar a capacidade operacional necessária e envidar todos os esforços para garantir, em patamares adequados, o apoio à família militar e, no limite de nossas possibilidades, as atividades do Sistema de Educação e Cultura.


Temos pela frente, como se pode depreender, um desafio à altura dos atributos profissionais que os trouxeram até a esta cerimônia.


Não percam de vista que os senhores não são generais de ou para uma crise, mas aqueles julgados capazes de conduzir a Força Terrestre em meio às dificuldades conjunturais que experimentamos, preservando-a e preparando-a para fazê-la ainda maior quando retornarmos à bonança.


Vivemos o tempo de reajustar dispositivos e de revisar estudos. Administrem olhando o horizonte do médio prazo, visando à inevitável retomada de nossos investimentos.


Os homens e mulheres que terão como seus subordinados são profissionais provados no patriotismo e no espírito de sacrifício, eles entenderão suas mensagens se os senhores as realçarem com a força do exemplo pessoal.

Por fim, façam junto com eles a profissão de fé diária do culto dos valores militares, da probidade e do respeito à coisa pública.

O encerramento desta cerimônia marcará o início da dispersão dos senhores em direção aos longínquos rincões que lhes tocaram.

Renovar-se-á a rotina de toda uma vida, filhos que ficam, amigos queridos que deixam para trás, a bagagem carregada de saudades, boas lembranças e novos projetos.

Partam todos com a certeza da adaptação, da expectativa de novos amigos e de que estão profissionalmente maduros para a nova jornada.

Nos corações, o sentimento de solidariedade que só conhece aquele cuja vida errante lhe presenteia com novos irmãos em cada nova guarnição.

A sustentar sozinha a integridade emocional desse processo tantas vezes repetido, está a brava e doce mulher de soldado, esse ser especial no qual o Criador aliou, com sensibilidade única, amor e fortaleza, suavidade e determinação, renúncia e adaptação, emoção e autocontrole.

Às senhoras a homenagem do Exército Brasileiro e o reconhecimento de todos nós pela incansável construção do harmonioso ambiente familiar que nos permite melhor cumprir nossas missões.

A todos, nosso desejo de muito sucesso nas novas e elevadas responsabilidades.

Que Deus os proteja e inspire.

Sejam muito felizes!

Gen Ex SERGIO WESTPHALEN ETCHEGOYEN
Chefe do Estado-Maior do Exército


A Presidente da República promoveu ao posto de General de Exército, a contar de 31 de março de 2016, o General de Divisão Geraldo Antonio Miotto.
 

A Presidente da República promoveu ao posto de General de Divisão, a contar de 31 de março de 2016, os Generais de Brigada, Ricardo Marques Figueiredo, Bráulio de Paula Machado, Eduardo Castanheira Garrido Alves, Estevam Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira e Carlos Alberto Maciel Teixeira.
 

A Presidente da República promoveu ao posto de General de Brigada, a contar de 31 de março de 2016, os Coronéis, João Denison Maia Correia, Pedro Paulo Levi Mateus Canazio, Aléssio Oliveira da Silva, Lourenço William da Silva Ribeiro Pinho e Luis Fernando Estorilho Baganha.