03 de Agosto, 2011 - 10:10 ( Brasília )

Terrestre

Novo Sistema de Avaliação do Pessoal Militar do Exército

Tema 6: "A importância da utilização dos perfis de avaliação no EB"

O Exército Brasileiro, historicamente, estabeleceu métodos, processos e instrumentos para a progressão na carreira, fundamentados na valorização do mérito e na competência demonstrada pelo militar. A avaliação, como instrumento de aperfeiçoamento do militar e da Força Terrestre, reflete, por meio do Perfil do Avaliado, o real desempenho do militar baseado em pautas comportamentais adequadas às necessidades do Exército.

Atualmente, sistemas com alto nível de informatização, à disposição da psicologia aplicada aos ambientes militares, possibilitam apoiar a realização da avaliação do pessoal militar sob a ótica de três competências básicas: uma competência profissional orientada ao resultado do trabalho, uma competência relativa ao relacionamento interpessoal que enfoca a harmonia nas relações sociais e uma competência especificamente castrense, espírito militar, tão peculiar da carreira das armas.

Constata-se que a ineficácia em combate tem alto custo, portanto para evitá-la é fundamental colocar o “homem certo no lugar certo”. Ao mesmo tempo, deve-se levar em conta que o Exército é um conglomerado de equipes. A eficiência de cada equipe é resultado de uma integração das características físicas e psicológicas presentes, trabalhando em prol de objetivos comuns, ou seja, a eficiência está relacionada à utilização do conjunto das competências intrínsecas de seus integrantes para se atingir um determinado objetivo.

O Sistema de Avaliação do Pessoal Militar do Exército Brasileiro possibilita, então, duas dimensões de utilização de seus produtos: uma profissional e outra institucional. Na vertente profissional, o Perfil do Avaliado auxilia o militar a acompanhar o desenvolvimento de suas competências materializadas nos 16 aspectos avaliados, apontando possibilidades de desenvolvimento individual, visando um melhor desempenho nos cargos e funções exercidas, sem comparar-se aos demais. Na vertente institucional, os diversos processos decisórios da Força (missões no Exterior, comissões, cursos, etc.) poderão fazer uso dos dados do Sistema de Avaliação com base nos requisitos específicos para cada missão, a serem definidos pelo órgão responsável por cada processo decisório.

A partir do cruzamento dos dados das competências básicas avaliadas em cada militar, com os requisitos de cada cargo ou função considerados nos processos decisórios seletivos, é possível realizar uma comparação do Perfil do Avaliado com o perfil adequado ao desempenho da função em questão, valorizando e posicionando cada militar no universo considerado, conforme sua adequação ao critério estabelecido. Essa modalidade de seleção favorece a valorização dos talentos individuais e das aptidões específicas de cada militar, facilitando a identificação dos profissionais mais qualificados e comprometidos com sua missão, além de ampliar o acesso de militares com diferentes perfis à determinadas missões.

O comprometimento com os resultados garante a responsabilidade, de avaliadores e avaliados, com o desempenho individual e grupal a serem alcançados. Nesse sentido, o Perfil do Avaliado é uma ferramenta de aperfeiçoamento que permite materializar esse comprometimento.

Para saber mais, acesse: DAPROM