09 de Dezembro, 2015 - 11:10 ( Brasília )

Terrestre

Parque Regional de Manutenção/5 conclui modernização do primeiro lote de M113BR


Em 1º de dezembro, o Parque Regional de Manutenção/5 apresentou oficialmente a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP) M113BR de número 150, o que caracterizou o encerramento da primeira fase do Projeto de Modernização desse modelo de viatura.

Esse blindado, em especial, conclui a linha de montagem do primeiro contrato na modalidade Foreign Military Sales e encerra com sucesso o primeiro lote de fabricação.

Durante este processo, iniciado em 2010, a organização militar (OM) de manutenção enfrentou grandes desafios: o estabelecimento da linha de produção da VBTP M113BR; a transferência das viaturas blindadas de Combate M60A3TTS, que o Parque/5 gerenciava, para o Comando Militar do Oeste; e uma lista de testes de campo e de padrões mínimos de desempenho para aprovação do protótipo e do lote piloto no Centro de Avaliação do Exército.

O processo completo de modernização de uma viatura dura cerca de quatro meses, passando por etapas encadeadas e precisas que, ao seu final, levam ao desenvolvimento de um blindado em estado de novo, totalmente modificado e reforçado, com características únicas e potência compatível às demandas da Força.

As VBTP M113BR vêm sendo distribuídas aos batalhões de Infantaria blindados (29º BIB, 7º BIB, 13º BIB e 20º BIB) desde dezembro de 2013, já tendo sido empregadas com êxito na Operação São Francisco (Complexo da Maré/ Rio de Janeiro), como um exemplo.

Já na segunda fase do Projeto, cujo contrato contempla a modernização de mais 236 VBTP M113B, as dotações orgânicas de todas as Unidades da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada (Ponta Grossa/PR), e da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (Santa Maria/RS), serão completadas.

A meta atual do Parque Regional de Manutenção/5 é reorganizar sua linha para aumentar a produção anual de 60 para 80 VBTP M113BR. Para isso, novos equipamentos foram adquiridos pela Diretoria de Material e um novo Pavilhão de Blindados foi construído, o que, aliado ao treinamento dos novos integrantes do Parque, permitirá o sucesso continuado do Projeto.

Os primeiros contêineres referentes ao segundo lote de produção têm previsão de chegada ao Brasil em fevereiro de 2016, o que possibilitará a retomada da produção em março do ano vindouro.

Comentário DefesaNet

Outros ganhos do processo implantado e que está tendo reconhecimento pela própria BAE Systems é o trabalho em estrutura de alumínio de blindagem.

A metalurgia do Alumínio de blindagem é mais complexa que o aço balístico. O domínio adquirido pelo Parque Regional de Manutenção/5 (PqR Mnt/5),em Curitiba, tanto nas estapas de inspeção e recuperação de estruturas em alumínio balístico poderá abrir oportunidade para futuros trabalhos em veículos, tais como os M109A3, caso o Exército Braisleiro opte pela sua modernização.

Interessante é que 30 anos depois o Brasil adquire uma capacidade tecnológica que a então ENGESA procurou, quando o Carro de Combate EET1/2 Osório começou a ter problemas de peso crescente.

O M113BR acompanhado por DefesaNet na Operação Centauro 2015 foi chamado pela tropa como “pequeno valente”. O motor mais potente e a rolagem mais macia foram de agrado da tropa.

Outro ponto importante e que terá impacto futuro é o emprego de lagartas de borracha. O Exército Brasileiro adquririu uma quantidade para equipar uma compahia de viaturas M113BR para atuar em oprações GLO (Garantia da Lei e da Ordem).

O Editor


Leia também:

DefesaNet visita linha de modernização dos M-113 no PqR Mnt/5 (Link)


DefesaNet acompanha teste de M-113 modernizados em campo de instrução próximo a Curitiba (Link)

Vídeo: BAE Systems apresenta na LAAD 2013 o M113A2 MK1