13 de Outubro, 2015 - 16:20 ( Brasília )

Terrestre

Comandante do EB conversa ao vivo com militares temporários da reserva de todo o País


Fortes e coesos. Essas palavras resumem a integração dos militares da reserva com o Exército Brasileiro. Isso foi comprovado durante uma videoconferência, realizada no dia 9 de outubro, entre o Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, e oficiais temporários da reserva (os chamados R2) de todo o Brasil.

Mais de dois mil ex-integrantes do serviço ativo lotaram os auditórios dos oito comandos militares de área para participar da sessão virtual, transmitida em tempo real, cujo objetivo foi estabelecer um diálogo mais eficaz entre a reserva e o Comandante.

Esse efetivo, mesmo após deixar as fileiras da Força Terrestre, continua se organizando em associações que, de maneira vibrante, cultuam os valores militares aprendidos na caserna e representam uma interface significativa entre a Instituição e a sociedade. Não à toa, muitos deles hoje ocupam funções estratégicas nas mais diversas áreas. É o caso do ex-governador de Pernambuco, ex-prefeito de Recife, ex-deputado federal e também antigo oficial R2, Roberto Magalhães, que estava presente na videoconferência; além de desembargadores, magistrados e outros profissionais.

O Gen Villas Bôas respondeu a perguntas sobre os mais variados temas, desde as ações para a valorização dos oficiais da reserva e os desafios do novo Ministro da Defesa, à atual crise vivida pelo País.

O Comandante tranquilizou todos os participantes ao dizer que a Instituição encara esse momento de dificuldades do Brasil a partir de três pilares essenciais: a estabilidade, a legalidade e a legitimidade. Com eles, afirmou, o Exército pode se unir às outras instituições para ajudar o País a enfrentar o cenário atual e a buscar um projeto de desenvolvimento que traga mais harmonia entre os diferentes agentes públicos e a sociedade.

Todas as ideias e sugestões trazidas pelos oficiais R2 foram acolhidas pelo Comandante, e algumas serão objeto de estudos para, depois da devida análise, entrarem em vigor. Nas suas últimas palavras, o Comandante pediu que todos mantivessem o mesmo espírito de entusiasmo que sempre marcou os quadros do Exército, enfatizando que seguir em frente como um bloco uníssono, sem rupturas, é o melhor de todos os caminhos.