12 de Junho, 2015 - 11:00 ( Brasília )

Terrestre

EB - Criação do cargo de Adjunto de Comando


A história do sargento tem sua origem ainda no Exército Português. Naquela época, o sargento tornava-se merecedor da graduação após ter se destacado em combate. No Brasil colonial, durante as Batalhas dos Guararapes, berço da nacionalidade e do Exército Brasileiro, sargentos se destacaram, principalmente, pela liderança militar demonstrada durante aquelas históricas ações de combate.

Já em uma época mais recente, podemos citar o sargento Max Wolff Filho que, dentre os muitos heróis da Força Expedicionária Brasileira tombados durante a 2ª Guerra Mundial, é reconhecido em todo o Exército por seus destacados atributos, evidenciados pela liderança expressiva no cumprimento das missões no campo de batalha.

A história do Exército Brasileiro apresenta vários exemplos de valorosos sargentos que se empenharam no cumprimento da nobre missão de defender a Pátria, firmando a máxima de ser o sargento o elo fundamental entre o Comando e a Tropa.

A criação do cargo de Adjunto de Comando tem, entre outros, o objetivo de distinguir o subtenente ou o primeiro sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal, valorizando assim a carreira do graduado.

O Adjunto de Comando terá como atribuições: ser divulgador da Ética e dos Valores Militares, ser fortalecedor dos padrões do Comportamento Militar, ser o facilitador da comunicação entre o Comando e as praças, ser divulgador da missão e da visão da Unidade e dos conceitos do Comando, assessorar o Comando em assuntos disciplinares, de instrução, do bem-estar, incluindo o da Família Militar, e em outros que envolvam as praças.

Para o bom cumprimento da importante missão de assessorar o Comando em situações relacionadas às praças e em outras concernentes à rotina da Unidade, o Adjunto de Comando utilizará a experiência, o conhecimento, a motivação e a liderança adquiridos ao longo da vida militar e os transmitirá a seus pares e subordinados. Para tanto, deverá se comunicar com clareza e, principalmente, com a sabedoria de bem ouvir. Será integrante do Estado-Maior Especial e fundamental no estabelecimento de um clima organizacional positivo, promovendo o desenvolvimento da camaradagem, do espírito de corpo e da coesão, encorajando a iniciativa e a participação, tendo sempre como foco o aprimoramento do subordinado como pessoa e como militar.

Dessa forma, o cargo de Adjunto de Comando não representará uma mera distinção e sim uma missão dentro do processo de transformação do Exército Brasileiro.

Esta missão emprestará a seus detentores enorme carga de responsabilidade, que exigirá alto grau de profissionalismo e conhecimento da profissão militar.