27 de Maio, 2015 - 11:30 ( Brasília )

Terrestre

ESPECIAL INFANTARIA – Festa Nacional da Infantaria volta ao berço de seu Patrono



Matéria Atualizada 31 Maio 2015


Festa Nacional da Infantaria 2015
Festa Nacional da Infantaria volta ao berço de seu Patrono

 

Vianney Júnior
Editor Internacional de Aeroespaço e Defesa


 
Um Herói de origem humilde
 
Antônio de Sampaio nasceu em 24 de maio de 1810, filho do ferreiro Antônio Ferreira de Sampaio e de D. Antônia Xavier de Araújo, sendo criado na vida simples e dura do sertão, na Fazenda Vitor, distante 32 quilômetros de Tamboril, Estado do Ceará.
 
Aos 20 anos, Sampaio ingressou no Exército Brasileiro. A primeira guerra de que participou foi em 1832, nas ruas da cidade de Icó, no Ceará. Participou da Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, da Cabanagem, no Pará, a Balaiada, no Maranhão e a Guerra de Praieira, em Pernambuco, tendo sido vitorioso em todas elas.
 
Em 1849, o então Capitão Sampaio casou-se com Júlia dos Santos; união da qual nasceram quatro filhos.
 
Sampaio perseverou em sua carreira militar até que, em 1861, foi promovido a Coronel, indo combater na Campanha do Uruguai. Após essa guerra, devido a sua conduta exemplar, foi promovido a Brigadeiro.
 
Durante a Batalha de Tuiuti, durante a Guerra da Tríplice Aliança, maior conflito já ocorrido na América do Sul, o Brigadeiro Sampaio à frente da 3ª Divisão de Infantaria, a Divisão Encouraçada, foi ferido repetidas vezes, vindo a falecer dias depois.
 
Por seu exemplo de insigne líder e soldado de infantaria de grandes virtudes, o Brigadeiro Sampaio foi escolhido, em 1962, como Patrono da Arma de Infantaria, sendo declarada por decreto presidencial, a data de seu nascimento, 24 de maio, a data maior da Arma. Sampaio é Herói do Brasil, tendo seu nome assentado no Livro dos Heróis da Pátria.
 
Hoje seus restos mortais repousam em um mausoléu erguido no Quartel General da 10ª Região Militar em Fortaleza, no Ceará.
 
Festa Nacional da Infantaria 2015
 
Em comemoração ao 205° ano do nascimento do Brigadeiro Antônio de Sampaio, foi realizada no Ceará a Festa Nacional da Infantaria. O Comandante da 10ª Região Militar, General-de-Divisão Marco Antônio Freire Gomes, e o Comandante do 23° Batalhão de Caçadores, Tenente-Coronel Alfredo Ferreira dos Santos Filho, receberam em Fortaleza o General-de-Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, Comandante do Exército Brasileiro, o General-de-Exército Marco Antônio de Farias, Comandante Logístico e oficial de Infantaria mais antigo no serviço ativo do Exército, o Ministro do STM, General-de-Exército Luis Carlos Gomes de Mattos, o Chefe do CIE, General-de-Divisão Cesar Leme Justo, o Subcomandante do COLOG e antigo Comandante da 10ª Região Militar, General-de-Divisão Carlos César Araújo Lima, o Comandante da 7ª Região Militar, General-de-Divisão Marcio Roland Heise, o Comandante da 6ª Região Militar, General-de-Divisão Artur Costa Moura, o Chefe de Estado-Maior do CMNE, General-de-Brigada Francisco Mamede de Brito Filho, e o Comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada, General-de-Brigada Antônio Eudes Lima da Silva

As atividades programadas e conduzidas pelo Comandante Militar do Nordeste, General-de-Exército Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, contaram com a participação de OMs circunscritas à 10ª Região Militar - Região Martim Soares Moreno, no período de 16 a 22 de maio de 2015.

 
As comemorações em Tamboril, terra natal do Patrono, ficaram a cargo do 40º Batalhão de Infantaria - "Guardião do Berço de Sampaio" com o apoio do 25º Batalhão de Caçadores, de Teresina, Piaui e aconteceram no Parque Histórico Brigadeiro Sampaio (PHBS), inaugurado em 24 de maio de 1974, pelo então Governador do Estado do Ceará - César Cals de Oliveira Filho.
 
Em Fortaleza, os eventos tiveram sua coordenação a cargo do Comando da 10ª Região Militar e as execuções a cargo das Unidades e Subunidades da Arma de Infantaria da Guarnição de Fortaleza (23º Batalhão de Caçadores - Batalhão Marechal Castelo Branco, 10ª Companhia de Guardas e Companhia de Comando da 10ª Região Militar).
 
De volta ao berço de Sampaio
 
Pleito antigo da Legião da Infantaria do Ceará, o retorno da Festa Nacional da Infantaria à terra natal de seu Patrono, retomou força com a atuação de seu presidente, o Gen Div R1 Júlio Lima Verde Campos de Oliveira, que apresentou exposição de motivos ao então Comandante da 10ª RM, General Araújo Lima, responsável por sensibilizar o Alto Comando quanto à coerência de centralizar as homenagens à Sampaio, na Região de nascimento do Brigadeiro.
 
A Festa Nacional da Infantaria foi coroada de pleno êxito, e contou com a demonstração da vibração da tropa, em sua maioria conterrâneos do Patrono da Arma.
 
“Levar uma Festa desta magnitude para o Nordeste, para o Ceará, em Fortaleza e Tamboril, é reafirmar o espírito democrático da própria instituição. É lembrar que os grandes exemplos, os grandes nomes, os grandes líderes, emergem igualmente de todos os cantos deste imenso Brasil, e têm seu valor reverenciado por uma Força que oportuniza a todos, de igual maneira, a missão ímpar de servir á Pátria”, destacou um amigo do 23BC.

 
 

O Infante
 
“A pé, de armas na mão, abnegado e estoico, arrastando-se na lama ou no gelo, ascendendo por penhascos através de vales profundos, indiferente às minas e aos fogos traiçoeiros, a um só tempo marchando e lutando, superior às intempéries e à fadiga, vai o infante brasileiro, em busca do inimigo, onde quer que ele esteja.”

 
Marechal Mascarenhas de Moraes
Comandante da 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária

 
Arma de Infantaria
 
A Infantaria sempre foi a principal força combativa de um exército, geralmente dotada dos maiores efetivos. Formada por soldados preparados para combater em todos os tipos de terreno e sob quaisquer condições meteorológicas, teve suas origens nos combatentes gregos e romanos, que lutavam em grupos compactos, armados de espadas e lanças, protegidos por couraças e elmos metálicos.

Com o surgimento das armas de fogo, ao final da Idade Média, a Infantaria começou a empregar uma nova organização tática. Na ofensiva, passou a cerrar sobre o inimigo, empregando o fogo, o movimento e o combate aproximado. Na defensiva, o objetivo concentrou-se na manutenção do terreno, impedindo, expulsando ou destruindo o inimigo pelo contra-ataque.
 
A versatilidade singular da Infantaria brasileira é reflexo de suas inúmeras Unidades, destacadas em cada canto do País. Com as Organizações Militares de selva, faz-se presente na Amazônia, assegurando as fronteiras do Norte e colaborando com o desenvolvimento regional. Na região Nordeste, conta com a Infantaria de Caatinga e, no Centro-Oeste, com a Infantaria Pantaneira. Domina as alturas com a Infantaria de Montanha. Alcança a alta mobilidade estratégica, necessária ao País continental, com a Infantaria Paraquedista e a Leve. Completa sua amplitude operacional com o poder de fogo e a ação de choque, inerentes à Infantaria Blindada e à moderna Infantaria Mecanizada. Atua, ainda, como força policial e de segurança institucional.
 
Atualmente, a Infantaria tem sido empregada em missões de paz, operações de garantia da lei e da ordem, pacificação de áreas urbanas, patrulhamento e proteção das fronteiras. O cenário contemporâneo de atuação da Força Terrestre necessita de um versátil soldado infante. Consciente de seu papel estratégico no cumprimento de missões, ele deve ser capacitado a operar sistemas de armamentos de alta tecnologia, sem, contudo, perder a genuína rusticidade, a persistência, a coragem e a disciplina.
 
Nobres Infantes, parabéns!




Matérias Relacionadas

Exclusivo DefesaNet Entrevista o Gen Ex Villas Boas Comandante do Exército Link


ESPECIAL INFANTARIA –  Festa Nacional da Infantaria volta ao berço de seu Patrono  Link

ESPECIAL INFANTARIA – Liderança Militar Nas ações, os traços de um grande líder  Link