11 de Novembro, 2014 - 11:05 ( Brasília )

Terrestre

Manobra Escolar - A transposição do rio Paraíba do Sul

Engenharia Militar realiza operação de travessia e mostra sua capacidade de superar obstáculos

Maj Antunes, Maj Caramaschi, Cap Almeida e Cap Milanez


Durante a Manobra Escolar 2014, a engenharia do Exército realizou uma operação de transposição do rio Paraíba do Sul, em Resende-RJ, para permitir que tropas de infantaria e cavalaria prosseguissem seu deslocamento no contexto do exercício.

A atividade contou com a participação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e alunos da Escola de Sargentos das Armas (EsSA), que aproveitaram o treinamento para consolidar os conhecimentos adquiridos ao longo do ano de instrução.

Em um contexto de conflito, uma operação de transposição de curso d’ água tem o objetivo de projetar o poder de combate além de um obstáculo aquático, assegurando integridade e impulsão às forças que se encontram na vanguarda do ataque ao inimigo.

A tropa de engenharia é a equipe mais apta a executar esse tipo de missão, em virtude de possuir pessoal e equipamentos especializados. A tropa de engenharia é a equipe mais apta a executar esse tipo de missão, em virtude de possuir pessoal e equipamentos especializados.

Além de aplicar estas técnicas em combate, a engenharia do Exército, amparada na Lei Complementar 97/99 da Constituição Federal/88, também pode cooperar com as ações de resposta aos desastres e reconstruções, realizar atividades de busca e salvamento e participar de atividades de prevenção e de reconstrução.

Pode, ainda, apoiar ações de defesa civil com pessoal, material e meio de transporte no socorro a vítimas de calamidades, como enchentes, desmoronamentos, interrupções de estradas, falta de água para consumo, dentre outras.

É uma importante ferramenta de cooperação com órgãos públicos na busca pelo bem-estar da sociedade brasileira. A engenharia militar participa da Manobra Escolar 2014, que acontece de 3 a 12 de novembro na região de Resende/RJ, empregando cerca de 200 viaturas e equipamentos e mais de 3.500 homens.

Dentre estes, cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), alunos da Escola de Saúde do Exército (EsSEx), da Escola de Sargentos de Logística do Exército (EsSLog), da Escola de Sargentos das Armas (EsSA) e do Centro de Estudos de Pessoal e Forte Duque de Caxias (CEP/FDC), que aplicam os conhecimentos militares aprendidos durante seus cursos de formação.