30 de Julho, 2014 - 12:30 ( Brasília )

Terrestre

Modernização da Aviação do Exército


Em 2012, a Diretoria de Material de Aviação do Exército (DMAvEx) deu continuidade aos três macroprojetos sob sua responsabilidade: a modernização da aeronave Pantera, a modernização da aeronave Esquilo/Fennec e a aquisição da aeronave EC 725 – Caracal, cuja designação no Exército Brasileiro (EB) é HM – 4 Jaguar.

O projeto de Modernização da aeronave AS 365 K–Pantera prevê a reconstrução de duas aeronaves anteriormente acidentadas e a modernização de outras 32. Esse projeto está sendo desenvolvido em conjunto com as empresas Helibras e Turbomeca. Essa tem a responsabilidade de fornecer os novos motores da aeronave, que será o Arriel 2 CG, motor mais potente que o atual, o Arriel 1M, e que proporcionará um melhor desempenho global do helicóptero. Já a Helibras tem a responsabilidade de ser a empresa integradora dos novos equipamentos. Para isso, ampliou o seu quadro de engenheiros e tem conduzido os estudos de engenharia necessários para tal.

Ainda em relação à modernização do Pantera, o projeto prevê a substituição do atual painel de instrumentos analógicos por um completamente digital, o chamado glass cockpit. Essa mudança permitirá uma sobrecarga menor de trabalho aos pilotos e aumentará a confiabilidade dos equipamentos.

Também está prevista a mudança do atual rotor de cauda, que passará de 11 para 10 palhetas, dispostas assimetricamente, o que resultará em diminuição do ruído. Salienta-se, ainda, que esse projeto está trazendo novas capacidades ao País. Uma delas é a Certificação e a Qualificação Militar da Aeronave pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), instituição subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), da Força Aérea Brasileira (FAB).

O IFI é reconhecidamente um centro de excelência em certificação de aeronaves de asa fixa (aviões), mas será a primeira vez que fará a certificação de um helicóptero. Um outro aspecto a ser abordado é que a primeira aeronave reconstruída será submetida a uma intensa campanha de Avaliação Técnica-Operacional (ATO), que avaliará o desempenho da nova aeronave e verificará se ela segue os requisitos estabelecidos pela Aviação do Exército (Av Ex). Cada aeronave reconstruída/modernizada passará a se chamar AS 365 K2 – Super Pantera.

O segundo projeto, a modernização das aeronaves HB 350 L1 – Esquilo e AS 550 A1– Fennec, prevê a reconstrução de três aeronaves anteriormente acidentadas e a modernização de outras 33. Esse projeto está sendo desenvolvido em conjunto com a empresa Helibras. O foco principal do projeto é a substituição do atual painel de instrumentos analógicos por um completamente digital, mas também prevê outras pequenas melhorias. Essa aeronave também será objeto de ATO e depois de modernizada será denominada AS 550 A2– Fennec Av Ex. Salienta-se que cada aeronave modernizada nesses dois projetos ganhará um novo ciclo operacional de pelo menos 25 anos.

O último projeto é a aquisição da aeronave HM – 4 Jaguar. Executado em conjunto com a FAB e a Marinha do Brasil, esse helicóptero foi adquirido pelo governo brasileiro para integrar as três Forças. O EB receberá 16 dessas aeronaves. A Av Ex já recebeu dois helicópteros e, ao final do projeto, todas as 16 aeronaves estarão distribuídas entre as Unidades da Av Ex de Taubaté (SP) e Manaus.