01 de Maio, 2014 - 09:55 ( Brasília )

Terrestre

DINAMO II - 3ª Região Militar apresenta um balanço final


No final da tarde de 4ª feira, 30 de abril, a 3ª Região Militar encerrou as atividades de intensificação da fiscalização de explosivos e produtos correlatos, que estavam inseridas na Operação Dínamo II. Ao longo dos três dias de operação, foram vistoriados, no interior do Estado do Rio Grande do Sul, 142 empresas, tendo 9 empresas autuadas.

Foram apreendidos no total: 11,5 kg de pólvora negra, 5 kg de emulsão encartuchada (explosivo envolto em plástico), 50 Kg de ANFOMAX (Explosivo seco e granulado, do tipo nitrocarbonitrato), 290 m de estopim e 4729 m de cordel detonante.

O efetivo total empregado na operação foi de 258 homens, sendo 201 do Exército Brasileiro, 11 da Polícia Civil, 2 da Polícia Rodoviária Federal, 41 da Brigada Militar e 3 do Departamento Nacional de Produção Mineral. Foram empregadas 88 viaturas, que percorreram um total de 18.430 km de estradas.

O principal objetivo da operação foi evitar ou reduzir a possibilidade de que explosivos utilizados por empresas registradas, ou de origem ilícita, sejam desviados e empregados contra pessoas e estruturas, permitindo o seu uso somente por pessoas legalmente habilitadas.

Além disso, a operação teve também como objetivos: conscientizar e reforçar junto às pessoas físicas e jurídicas vistoriadas a necessidade do cumprimento das novas normas de controle de explosivos e seus acessórios; inibir possíveis pretensões na utilização desse material para atividades criminosas; fortalecer as ações de fiscalização por intermédio de operações interagências.

Ao final da atividade, foi realizada uma videoconferência com todas as Regiões Militares envolvidas na operação, a fim de destacar o saldo positivo da Operação Dínamo II, em todo território Nacional.

A operação estava inserida no exercício do Poder de Polícia Administrativa do Exército e, em perfeita sintonia com as diretrizes do Ministério da Defesa para os preparativos da Copa do Mundo de 2014, na medida em que cooperava no eixo 10, com as ações de defesa na área de Fiscalização de Explosivos e Produtos Correlatos.