19 de Abril, 2014 - 14:05 ( Brasília )

Terrestre

Exército começa testes em novos helicópteros Pantera

Modernização de duas aeronaves foi concluída em março pela Helibras e pode ser estendida às 32 aeronaves da frota

Mais velozes, ágeis, potentes e seguros. Estes são os dois helicópteros modelo Pantera, cuja revitalização foi concluída em março na Helibras e que nos próximos três meses passarão por uma bateria de testes pelos técnicos e pilotos do Cavex (Comando de Aviação do Exército) de Taubaté.

A prova de fogo das aeronaves está prevista para terminar em julho. Se tudo der certo, as modificações nos dois modelos serão aplicadas em toda a frota de Panteras, que soma mais 32 helicópteros.

Segundo o adjunto da Seção de Projetos Especiais do Cavex, major Leonardo Celso Alves, a avaliação técnico-operacional será feita em um dos Panteras, o de prefixo EB 2010. “A segunda aeronave (EB 2026) permanecerá como helicóptero reserva dessa avaliação contratual, sendo empregado caso o EB 2010 venha a parar por qualquer motivo, como manutenção ou pane.”

De acordo com a Helibras, o valor total do contrato de modernização das 34 aeronaves é de R$ 347 milhões. Com a modernização, que tem o nome técnico de retrofit, as aeronaves vão ganhar uma vida útil para mais 25 anos de atividades.

Antes de serem entregues ao Exército, os dois helicópteros modernizados foram certificados pelo DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), em São José dos Campos.

Projetos. "O programa de modernização agrega para a Helibras o domínio de importantes tecnologias, oferecidas em um modelo de grande performance, caso da família Dauphin, da qual deriva a versão militar Pantera, e abre possibilidades para o desenvolvimento de novos projetos, através do Centro de Engenharia da empresa”, disse o presidente da Helibras, Eduardo Marson.

As principais modificações no Pantera envolvem um novo motor, com 40% de potência a mais, além de um novo rotor de cauda e aviônica. A velocidade máxima, que era de 150 nós (277,5 km/h), passou para 175 nós (323,75 km/h). O retrofit dos Panteras tem previsão de conclusão em 2020.

Esquilos. Além da renovação da frota de Panteras, a Helibras também tem um contrato que prevê a modernização dos Esquilos. A primeira aeronave modernizada e também certificada pelo DCTA, deve ser entregue até o final deste mês para testes no Cavex.

O Esquilo terá substituído o seu painel analógico por um sistema digital, além da instalação de um piloto automático. Ao todo, serão modificadas 34 aeronaves. Os trabalhos devem ser concluídos em 2018.

Saiba mais

O novo Pantera
Código: K2

Capacidade
1 ou 2 pilotos e mais 10 combatentes

Peso
Peso máximo de decolagem de 4.300 Kg

Velocidade
Máxima de 175nós

Principais mudanças

Novo motor Arriel 2C2CG com 40% a mais potência, novo painel glass cockpit com piloto automático de quatro eixos, permitindo mais autonomia, maior velocidade e menor carga de trabalho, novos radares meteorológicos e altímetros, modernos rádios de navegação e de comunicação, novo rotor de cauda

Exército e FAB recebem EC-725

A frota de helicópteros das Forças Armadas brasileiras foi reforçada este mês com a entrega de dois novos modelos EC-725 à Aeronáutica e ao Exército. As duas aeronaves foram produzidas integralmente na fábrica da Helibras, em Itajubá (MG).

Com isto, a FAB chega ao 5º helicóptero deste modelo e o Exército ao 3º. A Marinha possui duas aeronaves. O contrato firmado entre a empresa e o governo federal prevê a entrega de 50 helicópteros.


As outras nove unidades entregues anteriormente pela Helibras às Forças Armadas já completaram mais de 4.370 horas de operação. Os EC-725 estão aptos a desenvolver uma série de atividades de acordo com as necessidades das corporações, em missões como transporte de tropas, buscas, alertas SAR (busca e salvamento) e patrulhamento.