05 de Fevereiro, 2014 - 09:30 ( Brasília )

Terrestre

Cerimônia cívico-militar de substituição da Bandeira Nacional


O Exército Brasileiro realizou no domingo, dia 2 de fevereiro, a cerimônia cívico-militar de substituição da Bandeira Nacional na Praça dos Três Poderes. A solenidade homenageou os veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e destacou a conquista de Monte Castelo durante a 2ª Guerra Mundial.

Na presença de autoridades civis e militares, nacionais e estrangeiras, o Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri, procedeu à revista da tropa, composta pelo Batalhão da Guarda Presidencial (BGP), e deu início à solenidade.

Os veteranos da FEB residentes no Distrito Federal, todos com mais de 90 anos, ocuparam local de destaque na formatura e foram homenageados pelo público presente com uma salva de palmas. Completando a homenagem, o coral do Comando Logístico do Exército, regido pela 1º Ten Patrícia Mastella, entoou a Canção do Expedicionário. No dia 21 de fevereiro, comemoram-se os 69 anos da epopeia de bravura e civismo da FEB na tomada de Monte Castelo.

No momento da substituição do pavilhão nacional, foi executada uma salva de gala de 21 tiros de canhão e foram cantados o Hino Nacional e o Hino à Bandeira. Uma lei federal de 1971 determina que a Bandeira Nacional esteja permanentemente no topo do mastro especial da Praça dos Três Poderes como símbolo perene da Pátria e sob a guarda do povo brasileiro. Por isso, a antiga bandeira só pôde ser arriada quando a nova chegou ao ponto mais alto.

Ao final da cerimônia, militares do BGP realizaram uma apresentação de ordem unida para o público presente.

A substituição da Bandeira Nacional é feita em solenidade especial, sempre no primeiro domingo de cada mês, sob a coordenação das três Forças Armadas e do Governo do Distrito Federal, que se alternam na presidência da cerimônia. A bandeira localizada na Praça dos Três Poderes mede 14,15m de largura por 20,21m de comprimento e está hasteada a cem metros do chão.