15 de Julho, 2013 - 13:41 ( Brasília )

Terrestre

Suicídios de militares britânicos superam mortes em combate

Em 2012, 50 militares da ativa cometeram suicídio, superando os 40 óbitos entre as forças britânicas no Afeganistão

O número de militares e ex-militares britânicos que se suicidaram em 2012 supera o de soldados mortos em combate no Afeganistão no mesmo período, revela neste domingo a rede de televisão BBC. Em todo o ano passado, 29 ex-combatentes e 21 militares da ativa cometeram suicídio, superando os 40 óbitos entre as forças britânicas no Afeganistão.

O ministro britânico da Defesa informou que sete soldados se suicidaram em 2012 e que há 14 casos de "possíveis suicídios" de militares da ativa, ainda não confirmados. As autoridades britânicas não comentam suicídios de militares que já deram baixa.

O ministério da Defesa afirma que os suicídios entre os membros das Forças Armadas são pouco frequentes e estão abaixo do nível da população civil.

O programa da BBC exibe testemunhos de familiares de soldados que se suicidaram, incluindo o da mãe de um militar ferido duas vezes no Afeganistão que se matou no dia 31 de dezembro de 2011, aos 29 anos.

"Os soldados afetados por stress pós-traumático são exatamente como os demais: vítimas da guerra que devem ser tratados como tal", disse Deana Collins, mãe do militar que se suicidou.

Um porta-voz do ministério da Defesa afirmou que a saúde mental dos militares e ex-militares "é uma prioridade para o governo", que destina anualmente 7,4 milhões de libras (8,5 milhões de euros) para fornecer "apoio psiquiátrico a todos que necessitam".