20 de Setembro, 2011 - 09:34 ( Brasília )

Tecnologia

Tropa da FAB opera equipada com Óculos de Visão Noturna - Operação Ágata 2


A noite não é um obstáculo para a tropa de solo da Força Aérea Brasileira (FAB). Na realidade, é uma aliada. O Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Canoas (BINFAE-CO) participa da Operação Ágata II equipado com os Óculos de Visão Noturna, que permitem operações durante as 24 horas do dia.“O Óculos de Visão Noturna expandiu o uso da infantaria da aeronáutica”, explica o Tenente Henrique Cardoso, do BINFAE-CO. Ele diz que poder enxergar à noite não só permite cumprir as missões depois do pôr do sol, mas também aumenta a capacidade da tropa. “O equipamento traz um ganho em relação ao inimigo", diz.

Os Batalhões de Infantaria da FAB podem atuar, por exemplo, em situações como a abordagem de aeronaves que tenham sido obrigadas a pousar após uma interceptação ou em missões de reconhecimento. Além dos óculos, a tropa também está equipada com fuzis com miras noturnas e equipamento necessário para cumprir missões com várias horas de duração. “Aonde a Força Aérea quiser mandar a gente, a gente vai poder atuar, em qualquer parte do Brasil”, afirma o Tenente Cardoso.

Voo também acontece com visão noturna
A escuridão também não é desafio para os pilotos de H-60 Blackhawk da Força Aérea Brasileira.

Com o uso dos Óculos de Visão Noturna, as tripulações têm qualificação para decolarem, realizarem suas missões e pousaram sem qualquer tipo de iluminação. “Nós conseguimos cumprir todas as missões que a gente faz no período diurno”, explica o Capitão Renato Pereira, do Esquadrão Pantera, de Santa Maria (RS).

 Para realizar o voo, o helicóptero apaga todas as suas luzes e assim consegue cumprir sua missão sem correr o risco de ser observado. “No período noturno é muito mais difícil você ser detectado pela artilharia anti-aérea, principalmente armamento de ombro ou canhão”, diz. Os H-60 podem realizar pousos táticos para deixar ou retirar uma tropa em uma área de interesse, além de realizar buscas, resgates, interceptações e operações especiais.

Fonte: Agência Força Aérea