07 de Junho, 2013 - 09:16 ( Brasília )

Tecnologia

DEFESA _ IME e ITA vão ampliar instalações e número de vagas


Brasília, 06/06/2013 - O ensino de engenharia em institutos tecnológicos de ponta ligados à Defesa passará por expansão na infraestrutura e consequente aumento no número de vagas em dois dos mais renomados centros da área: o Instituto Militar de Engenharia (IME) e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Pela iniciativa dos ministérios da Defesa e da Educação, o IME será transferido do bairro da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, para uma nova sede em Guaratiba, também no Rio. O objetivo é triplicar, até 2018, o número de alunos formados, passando dos atuais 100 para 300. A obra terá mais de 100.000 m² de área construída e está orçada em cerca de R$ 250 milhões.

Enquanto as instalações não ficam prontas, o edifício que abriga o instituto passará por reforma nas salas de aula e nos alojamentos para receber, já este ano, mais 15 futuros engenheiros. No ano que vem, serão outros 15. Além disso, o IME negocia com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão o lançamento de edital de concurso público para a contratação de 22 novos professores civis.

Já o ITA vai duplicar o número de vagas até 2015, passando das 120 atuais para 240. Somente em 2013, serão 70 novos alunos. Com a cooperação, o instituto receberá  investimento total de R$ 300 milhões para obras de ampliação na sede de São José dos Campos, em São Paulo.

Serão reformadas salas, alojamentos, residências e laboratórios. Parte do aporte financeiro, oriunda do Ministério da Educação, já foi incluída no orçamento de 2013, que prevê R$ 40 milhões para a reestruturação do ITA. Além disso, foram aprovados 143 novos cargos de magistério superior destinados ao instituto tecnológico e 880 vagas para o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

A ampliação do ITA visa, ainda, retomar a cooperação com o Massachusetts Institute of Technology (MIT). Acordo celebrado entre os dois institutos no ano passado, com duração de cinco anos, encontra-se em fase final, na etapa de modelagem jurídica.

IME

A história do Instituto Militar de Engenharia remonta ao ano de 1792 quando, por ordem de Dona Maria I, rainha de Portugal, foi instalada, na cidade do Rio de Janeiro, a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, sendo a primeira escola de engenharia das Américas e terceira do mundo.

Após mudanças de nomenclatura, o atual IME nasceu em 1959. Está subordinado ao Departamento de Ciência e Tecnologia do Comando do Exército e tem como missão o ensino superior de engenharia e a pesquisa básica no âmbito da Força Terrestre.

Atualmente, a instituição de ensino forma oficiais engenheiros militares da ativa e da reserva. A partir de 1997 passou a admitir o ingresso de mulheres. Entre as principais realizações do instituto destacam-se a implantação da Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda (RJ); a base do ITA; a cooperação na implementação da infraestrutura da Embratel e Telebrás; e o desenvolvimento do padrão PAL-M para TV a cores no Brasil.

ITA

Criado em 1950, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica é uma instituição especializada no campo aeroespacial. Foi pioneiro na formação de pessoal para atividades de regulação e suporte à aviação civil, que deu origem à ANAC e Infraero, por exemplo.

Atualmente, o vestibular de engenharia do ITA é o mais concorrido do país. Seus ingressantes têm as melhores notas no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) entre as escolas de engenharia e os alunos chegam ao ITA com medalhas das olimpíadas de física, computação e matemática.

No último vestibular, o instituto recebeu mais de 7 mil inscrições, das quais 23% foram de mulheres. Ao término da graduação, os alunos saem com formação em uma das seis áreas de engenharia oferecidas: aeroespacial, aeronáutica, civil-aeronáutica, computação, eletrônica e mecânica-aeronáutica. Como o IME, forma oficiais da ativa e da reserva. Está sob a jurisdição do Comando da Aeronáutica.