03 de Maio, 2013 - 11:46 ( Brasília )

Tecnologia

"Robô-libélula" faz primeiro voo estável após 12 anos de pesquisa

Robôs podem ser usados para procurar pessoas desaparecidas, espionar inimigos ou acompanhar poluentes tóxicos

Depois de uma pesquisa que durou 12 anos, o professor de engenharia de Harvard Robert Wood finalmente conseguiu fazer com que seu pequeno robô que imita o bater de asas de uma libélula fizesse seu primeiro voo controlado e com estabilidade. A equipe responsável pelo projeto encarou desafios como problemas de peso, aerodinâmica das asas, fonte de alimentação e de fabricação, já que o pequeno robô é menor que uma moeda.

"Este é o culminar de mais de uma década de trabalho para conseguir esse resultado. Esta é a primeira demonstração de que você pode fazer robôs insetos e controlá-los durante o voo", disse o professor, que dirige um laboratório no Instituto Wyss para Engenharia Biologicamente Inspirada da Universidade de Harvard, à revista Science, onde o resultado da pesquisa foi publicado.

O pequeno robô pesa apenas 80 miligramas e bate as asas 120 vezes por segundo. O professor afirma que há outros projetos de robôs-insetos que já fizeram um voo, mas nenhum deles teve estabilidade durante os testes.

A construção desses minúsculos insetos robóticos tem inúmeras aplicações práticas. Segundo o professor, eles podem ser usados ??para procurar pessoas desaparecidas, espionar inimigos, acompanhar poluentes tóxicos ou mesmo polinizar culturas, substituindo abelhas, por exemplo.