COBERTURA ESPECIAL - Tank

25 de Junho, 2015 - 16:00 ( Brasília )

Puma é formalmente entregue às Forças Armadas da Alemanha


English version

Nicholle Murmel
Tradução, adaptação e edição

A Rheinmetall e a Krauss-Maffei Wegmann (KMW) entregaram formalmente o veículo de infantaria motorizada Puma às Forças Armadas alemãs ontem (24). Assim, um dos projetos mais ambiciosos de tecnologia para forças terrestres entra na fase operacional.

O comissionamento dos Puma IFV dará à infantaria mecanizada um novo Sistema principal de armas que substituirá gradativamente o Marder, que entrou em serviço há mais de 40 anos.

Todas as 350 unidades do veículo devem ser entregues até 2020. O contrato assinado com a PSM GmbH hoje é avaliado em 4,3 bilhões de euros, incluíndo a encomenda separada de equiamentos adicionais. A PMS é uma joint-venture da Rheinmetall e da KMW, onde cada empresa detém 50% de participação.
 
O Puma é resultado da colaboração intense entre organizações militares, órgãos administrativos e a indústria alemã de defesa. Essa união de forças permitiu às partes levar esse projeto complexo adiante, até a fase da produção em larga escala. Um dos grandes desafios contornados foi a incorporação de novas especificações técnicas, resultantes do conhecimento acumulado ao longo do desenvolvimento do programa. Além disso, apesar dos vários contatempos, a iniciativa conseguiu se manter dentro do orçamento previsto no contrato.

Performance e características do Puma

Letalidade: Graças ao recém-criado canhão automático MK30-2/ABM de 30mm e munição programável, o veículo, mesmo oculto, pode engajar uma variedade de alvos.

Mobilidade: O chassis hidro-pneumático e motor potente tornam o Puma bastante manobrável mesmo nos terrenos mais acidentados, e proporcionam velocidade máxima de 70 km/h. Isso significa capacidade de operar em combate junto com o blindado Leopard 2.

Sobrevida/Resistência: Um sistema de proteção modular, com components ativos e passivos, matém a tripulação segura contra minas, dispositivos caseiros, bombas menores, estilhaços e ameaças balísticas como cargas moldadas e de cinéticas.

C4I: A tecnologia digital de commando e controle facilita a operação do IFV e seus subsistemas pela tripulação. Isso simplifica procedimentos de comando e coloca o Puma diretamente na rede de operações.

Reconhecimento: Sensores ópticos e optrônicos dão aos operadores o quadro mais detalhado da situação em combate em tempo real, permitindo detecção rpapida e engajamento preciso de ameaças.

Puma entra em serviço nas Bundeswehr

Agora que o Puma foi comissionado às Forças Armadas alemãs, o primeiro passo é treinar instrutores. Esse processo já está em andamento no centro de treinamento do Exército alemão em Munster, e deve sercompleto até o fim deste ano. Uma equipe específica foi formada em Munster para o Puma, e dará às companhias de infantaria mecanizada três meses de treinamento inicial para operação do novo veículo.

A equipe recebe as unidades diretamente do fabricante, as equipa com itens especificados pelas Bundeswehr e as transfere para as tropas que estão sendo treinadas. Uma vez completo o ciclo de três meses, essas unidades voltam às bases com seus Pumas.

Nesse meio-tempo, as Forças Armadas e a PSM GmbH concluíram os contratos necessários para manuntenção e suporte técnico e logístico. Assim, o suporte de longo-prazo por parte de fornecedores relevantes no setor de defesa alemão está garantido.