COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

05 de Dezembro, 2012 - 10:40 ( Brasília )

INPE - 25 Anos do LIT

Perspectiva foi divulgada pelo diretor do instituto em evento de comemoração dos 25 anos do laboratório de integração

Publicado em O VALE 04 Dezembro 2012



Vivian Zwaricz
São José dos Campos

O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) pretende gerar, até 2016, cerca de 400 novos empregos em São José. A perspectiva é do diretor do Instituto, Leonel Perondi, e foi revelada ontem durante a comemoração dos 25 anos do LIT (Laboratório de Integração e Testes), na sede do INPE.

Segundo ele, a previsão orçamentária para 2013 deverá ser de R$ 200 milhões, repetindo o valor deste ano.

“O valor é suficiente. Para o que está previsto para o ano que vem é suficiente”, disse o diretor.

Ainda de acordo com ele, os projetos para 2013 são a continuidade do CBERS-3, a construção do CBERS-4, que deve ser feita logo após o lançamento de seu antecessor, o programa Amazônia e a proposta de um satélite internacional como o Sabiá-Mar, em parceria com a Argentina (veja quadro nesta página).

Para 2013, Perondi vai priorizar o término de projetos em andamento.

“É preciso ter eficácia. As missões com atraso precisam ter resultados. É necessário esforço de todos nós”, afirmou.

Empregos. Uma das prioridades do novo diretor do Inpe é gerar empregos.

Segundo ele, o instituto corre o risco de perder 40% do quadro atual até 2016. Hoje, o Inpe tem cerca de 1.100 servidores.

“Boa parte deste número deverá se aposentar. É preciso renovar porque poderemos enfrentar grandes dificuldades”, afirmou.

CBERS-3. Previsto para ser lançado em órbita primeiramente em 2007 e depois em novembro deste ano, o CBERS-3 continua em fase de testes. A expectativa de Perondi é lançá-lo até o fim do primeiro semestre de 2013.

“Não podemos falar em atraso. É preciso entender que, uma vez em órbita, não há como repará-lo. É preciso ter garantia, confiança e os requisitos necessários para voos”, disse Perondi.

Aniversário. O LIT é o único laboratório do Hemisfério Sul capaz de integrar e realizar testes completos de satélites e seus subsistemas.

Para o diretor, o LIT é fundamental no programa espacial. O laboratório conta com cerca de 60 servidores.
No local, são feitos testes de qualificação e certificação, desde antenas, veículos de grande porte até atender às necessidades de vários programas na área espacial como a série Cbers, do VLS, veículo lançador de satélites do Brasil; do HSB, carga útil meteorológica desenvolvida para equipar um satélite da Nasa, entre outros.

ANÁLISE

Argentina será rival tecnológica
São José dos Campos

O Brasil pode ter em alguns anos a Argentina como ‘rival’ na área tecnológica e o INPE, em São José, corre o risco de perder o ‘posto’ de ter o único Laboratório de Integração e Testes do Hemisfério Sul.
Isso porque a Argentina está construindo uma grande ‘praça’ de desenvolvimento espacial, em parceria com a NASA (Agência Espacial Norte Americana).

As informações foram divulgadas ontem pelo presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira), José Raimundo Braga Coelho, durante a comemoração aos 25 anos do LIT.

“Eles estão investindo muito em infraestrutura e construindo um ‘senhor’ laboratório de integração e testes. Isso é um incentivo para nós brasileiros, nos mostra que não podemos parar, o LIT precisa de várias outras expansões e nós temos que enfrentar esse desafio. Precisamos crescer ainda mais”, afirmou o presidente.

Satélites - Todos os satélites desenvolvidos na Argentina são testados e montados no LIT, em São José. Para Coelho, a competitividade será saudável para o Brasil. “Logo, a Argentina terá sua própria estrutura. Temos que prosseguir na implantação do LIT de forma completa e procurar expandir e crescer ainda mais”, disse.