COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Aviação

24 de Agosto, 2017 - 11:00 ( Brasília )

Comandante da FAB e autoridades realizam visita ao CLA

Comitiva conheceu o projeto de consolidação do Centro Espacial de Alcântara

Aspirante Aline Fuzisaki


O Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, visitou, nessa terça-feira (22/08), as instalações do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.

O Oficial-General estava acompanhado do Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha; do Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), General de Exército Sergio Etchegoyen; além de representantes do Ministério da Defesa, Ministério dos Direitos Humanos, Ministério das Relações Exteriores, Secretaria Nacional de Articulação Social e da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

O objetivo foi conhecer as instalações do CLA e o projeto de consolidação do Centro Espacial de Alcântara (CEA). A comitiva foi recepcionada pelo Chefe da Unidade, Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, e pelo Vice-Chefe, Tenente-Coronel Aviador Marco Antonio Carnevale Coelho.

Ao chegarem, as autoridades sobrevoaram toda a área do CLA em um helicóptero. Logo após o pouso, visitaram o Centro de Controle e assistiram a uma palestra com o Coronel Luciano, que falou sobre a história, a atual situação das instalações e o potencial operacional da Unidade Militar.

Criado em 1983, o CLA está localizado em um ponto estratégico para o lançamento de veículos espaciais, pois a localização próxima à Linha do Equador garante até 30% de economia de combustível, já que, ao ser lançado, o veículo espacial não precisa fazer tantas manobras para se posicionar corretamente.

Desde que foi inaugurado, o CLA realizou 98 operações de lançamentos, com 476 veículos lançados, sendo 83 de outros países. O último lançamento ocorreu em maio e a expectativa é chegar à 100ª operação ainda este ano. “Além de estarmos no melhor ponto de lançamento, contamos com equipamentos modernos e operacionais, por isso, temos potencial de nos tornarmos o melhor centro de lançamento do mundo”, afirma o Coronel Luciano.

Em alinhamento com o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), do Ministério da Defesa, o CLA planeja expandir suas capacidades operacionais. Para isso, está pleiteando, junto ao Governo Federal, uma área de 12.645 hectares, que irá possibilitar a construção de novas instalações e ampliar a capacidade de lançamentos de satélites.

“Este é o centro melhor posicionado do mundo e, até hoje, foi muito pouco utilizado. Então, nós precisamos dar o impulso necessário para realmente cumprir a sua missão.

A utilização de satélites por parte do nosso País é fundamental, não só o SGDC, que foi lançado recentemente, como também satélites de órbita baixa, satélites meteorológicos, satélites de geoposicionamento para atender a parte de meio-ambiente, nossas estradas, controle de florestas, controle de fronteiras e controle marítimo. Isso tudo está dentro do nosso projeto para os próximos anos”, explica o Tenente-Brigadeiro Rossato.

Atualmente, o CLA realiza a certificação de operadores e o lançamento de veículos suborbitais e foguetes de treinamento básico e intermediário, que garantem a manutenção das estruturas e o funcionamento dos instrumentos e equipamentos.

De acordo com o Chefe do CLA, são realizadas quatro operações por ano, com uma média de cinco lançamentos de foguetes suborbitais. “Com a expansão, o Centro poderia operar muito mais, já que está em plenas condições. E o mercado de satélites é o mais promissor na área espacial”, ressalta.

Ainda segundo o Coronel Luciano, o CLA já é classificado como uma Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação. A consolidação do CEA colocará o Brasil em uma posição de destaque no cenário aeroespacial mundial, ampliando a participação do País em projetos de concepção internacional de interesse mútuo, o que incrementará também as capacidades industrial e de defesa.

Para o Ministro Eliseu Padilha, atualmente, a Unidade Militar está sendo subaproveitada, um cenário que precisa ser mudado. “A nossa vinda aqui fez com que o Governo, como um todo, tivesse consciência do que efetivamente representa Alcântara para o Brasil.

Nós estamos com uma área, com um setor, que dialoga com o Brasil do século XXI e com a comunidade internacional. O Brasil pode muito bem continuar inserido no primeiro mundo, no que tange a veículos aeroespaciais. Nós queremos que o CLA tenha um aproveitamento pleno e esse é o diálogo que vamos levar ao Presidente Temer e tenho certeza de que ele é sensível a isso”, enfatiza.

De acordo com o General Etchegoyen, este é um tema em que a Força Aérea é a vanguarda do que há de mais avançado tecnologicamente. "Esta é uma visita do Governo Brasileiro para avançar com o projeto de expansão do CLA.

O Brasil tem uma vantagem competitiva inigualável ao resto do mundo e isso é da sociedade brasileira, nós temos que avançar nesta direção. Essa visita foi muito positiva porque se pôde ver o quanto nós avançamos e o quanto se pode avançar.

O limite é o infinito para o Brasil nesse cenário”, especifica. A expectativa é que o CEA seja concretizado até 2021. Para isso, além da ampliação territorial, que irá garantir o aumento das áreas de segurança do CLA, será preciso viabilizar parcerias nacionais e internacionais para a construção de novas estruturas e adequação das instalações já existentes.

“Aqui, é importante ressaltar que eventuais acordos internacionais não inviabilizam o programa espacial genuinamente brasileiro”, garante o Coronel Luciano. Inserido em um parque de preservação ambiental, o CLA é o maior empregador do município de Alcântara, estimulando ainda a criação de empregos indiretos, além de ser o maior gerador de impostos para a administração municipal.

A Unidade Militar também promove, constantemente, ações cívico-sociais (ACISO) de saúde e cidadania, e oferece o Programa Soldado Cidadão, que forma 80 militares por ano em diversas especialidades, e incentiva a prática esportiva por meio do Programa Forças no Esporte. A comunidade local também conta com a Escola Caminho das Estrelas, que atende 116 alunos. A expectativa é que todos os benefícios sociais oferecidos aumentem significativamente com a consolidação do CEA.


VEJA MAIS