COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

19 de Maio, 2009 - 12:00 ( Brasília )

Brasil e China ampliam acordo de satélites e países africanos receberão dados do CBERS




Durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China, foram assinados memorandos para a transmissão de imagens do satélite sino-brasileiro Cbers para países africanos . As imagens geradas através do programa espacial conjunto serão compartilhadas com os países africanos conforme acordo assinado entre a China e o Brasil

As estações receptoras terrestres de Hartebeeshoek (África do Sul), Aswan (Egito) e Maspaloms (Espanha) processarão e distribuirão as imagens do China-Brazil Earth Resources Satellite-02B (CBERS-02B) aos países africanos.

"É a primeira vez que a China se torna um exportador de imagens espaciais," afirmou Guo Jianning, diretor-geral do China Center for Resources Satellite Data and Application.

“Antes disso, a China era compradora ou compartilhava imagens de satélites com outros países”, afirmou Guo.

Como ocorre no Brasil e na China, a distribuição das imagens vai contribuir para que governos e organizações do continente africano monitorem desastres naturais, desmatamento, ameaças à produção agrícola e riscos à saúde pública

O presidente Lula encerrou sua viagem à China com uma visita à Agência Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), onde conheceu o satélite Cbers-3. No Brasil, os satélites são desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas.

Segundo agências chinesas foram assinados acordos durante a visita ao CAST.

"Estes acordo indicam o apoio e a importância que China e o Brasil dão aos países africanos,os quais são um exemplo de cooperação entre os dois países em desenvolvimento," afirma Guo.

O Projeto CBERS iniciou em 1988 e o primeiro satélite CBERS foi lançado em 1999. Até o momento, há três satélites CBERS no espaço e um quarto pronto para ser lançado ao espaço em 2011.

Estes satélites serviram para obter imagens e informações sobr o uso da terra, estimativas agrícolas, recursos hídricos, exportação de minas, aglomerações urbanas, proteção ao meio ambiente e monitoração das costas.

"Os satélites CBERS tornaram-se uma importante fonte de obtenção de dados para o mundo e nós continuaremos a expandir a cooperação com o Brasil, assim como outros países que têm mostrado interesse," afirmou Zhang Qingjun, principal projetista chinês do projeto CBERS.


O Programa Sino-Brasileiro de Satélites de Recursos Terrestres (CBERS) é um dos exemplos mais bem-sucedidos de cooperação tecnológica entre países em desenvolvimento.

O protocolo pela continuidade e expansão do Programa CBERS oferece ainda ao Brasil a recepção dos dados dos satélites chineses HJ-1A e HJ-1B na estação de Cuiabá, operada pelo Inpe.