COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

17 de Dezembro, 2013 - 16:19 ( Brasília )

Empresa da Ucrânia anuncia vinda para São José dos Campos


 

Júlio Ottoboni

A Ucrânia tem como meta superar a Rússia no segmento bélico e aeroespacial, principalmente na concorrência junto aos mercados emergentes, como o do Brasil.  A empresa estatal ucraniana Yuzhnoye, que desenvolve projetos de alta tecnologia no setor espacial revelou sua intenção em estabelecer  um escritório de representação no polo aeroespacial de São José dos Campos -SP.
 
O anúncio foi nesta segunda-feira (17) no seminário organizado pela estatal do governo da Ucrânia no Parque Tecnológico de São José dos Campos, com o apoio institucional da Agência Espacial Brasileira (AEB) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SDECT).
 
Os ucranianos estão realmente interessados em vender uma imagem desvinculada da antiga união soviética, quando era a principal base militar da cortina de ferro. O encontro é voltado à empresários e técnicos do setor, com palestras ministradas por especialistas ucranianos sobre temas como desenvolvimento de foguetes, veículos de lançamento, satélites e sistemas de defesa.
 
A notícia da abertura de uma representação da Yuzhnoye em São José foi comemorada pelos diretores da AEB e representantes da Prefeitura, do Parque Tecnológico e da Associação Aeroespacial Brasileira que estiveram no evento. Pois essa empresa é um dos braços da Cyclone Space, criada como uma binacional Brasil-Ucrânia para alavancar o combalido programa do VLS.
 
“Por ser um polo brasileiro da indústria, da tecnologia e da inovação, São José dos Campos aparece como o lugar ideal”, justificou Maria Terekhova, gerente sênior de Desenvolvimento de Negócios da Yuzhnoye.
 
O parque tecnológico da cidade já tem a Boeing, a EADS e a Safran Aeronáutica, que abriram centros de pesquisa no Parque Tecnológico. Além da Embraer, Inpe e pequenas empresas em estágio inicial em incubadoras.
 
“A Yuzhnoye veio aqui com o objetivo claro de estabelecer parcerias e identificar oportunidades de cooperação com o setor espacial brasileiro. Esperamos que essas oportunidades se concretizem com a instalação da empresa no Parque”, disse o professor Carlos Alberto Gurgel Veras, diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB.
 
Brasil e Ucrânia mantêm um amplo e polêmico acordo de cooperação no setor aeroespacial que resultou, inclusive, na binacional que já consumiu mais de US$ 100 milhões sem demonstrar resultados concretos. O major brigadeiro da reserva Reginaldo dos Santos, diretor-geral da binacional Alcântara Cylcone Space (ACS), participou do evento.
 
O principal produto da companhia é o lançador de satélites Cyclone-4, apresentado em 2003. A parceria prevê o uso conjunto do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão, para lançamentos comerciais.