COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Pensamento

03 de Outubro, 2013 - 11:12 ( Brasília )

Pontes se prepara para a carreira política


Júlio Ottoboni
Especial para DefesaNet
 
O astronauta brasileiro deu seu primeiro passo para cumprir um desejo antigo, ingressar na politica. No último dia 25, em Brasília, Marcos Pontes se reuniu em Brasília com o ex-ministro de Ciência e Tecnologia do governo Lula, Eduardo Campos (PSB), e atual governador de Pernambuco para assinar sua ficha de filiação ao partido socialista. Com todo o estafe do partido, Pontes foi comemorado como um troféu para a sigla que perdeu os irmãos Ciro e Cid Gomes.
 
Pontes nunca escondeu que seu interesse partir para a vida política mesmo quando estava ainda nos quadros da NASA e ansiava participar de um voo no ônibus espacial norte-americano. Ele deve sair para deputado federal por Bauru (SP), sua cidade natal. Essa seria a primeira experiência para concorrer ao senado federal num futuro próximo.
 
Pontes já havia recebido convites de diversos partidos nos últimos tempo, porém em sua avaliação nenhum dava a oportunidade expressa neste momento com o eventual candidato a presidência. Assim que consolidou seu ingresso no PSB, o astronauta postou um longo texto explicativo em seu site e no Facebook.
 
“Confesso que fiquei muito feliz com a notícia circulando nos últimos meses da possibilidade de Eduardo Campos se candidatar à Presidência da República no ano que vem. Vejo isso como uma excelente oportunidade de trazer juventude, ideias novas, mudanças e progresso continuado ao país. Por tudo isso, eu não poderia deixar de atender ao seu convite e segui para Brasília”, explicou-se Pontes.
 
Caso Campos se eleja, já que é visto com simpatia por parte do eleitorado do Sudeste, Nordeste e no Norte do país, Pontes já teria assegurado um cargo de destaque como o ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação ou mesmo a presidência da Agência Espacial Brasileira (AEB), o que facilitaria a retomada do intercâmbio científico com as Agências Espaciais dos Estados Unidos (NASA), Européia (ESA) e em convênios específicos como com a Academia Espacial Russa e a Nasda, do Japão. Isso se daria com Pontes, inclusive, eleito para a câmara dos deputados.
 
Pontes ainda fez outras revelações em seu relato: “ Estou a 15 anos, e continuo, à disposição do Brasil como astronauta e em contato direto com as organizações internacionais de maior renome no planeta. Hoje, com 50 anos de idade, estou em plena atividade profissional e ainda tenho pelo menos mais uns 25 anos úteis de trabalho (se Deus quiser) antes de pensar em "me aposentar". Sou Embaixador da ONU para desenvolvimento industrial (só existem 3 de nós em todo o mundo)”.
 
O astronauta chegou a se empolgar com a oportunidade. “ Acumulei experiências e conhecimento únicos no país ao longo de todos esses anos e... NUNCA (sic), nenhum gestor público me perguntou: "Você poderia usar o que aprendeu para nos ajudar a desenvolver soluções  estratégias dentro das suas áreas de conhecimento? "Essa era a PERGUNTA MÁGICA (sic) que eu tanto esperava e que, finalmente, ouvi hoje do Governador Eduardo Campos.
 
Marcos Cesar Pontes nasceu em Bauru, em 11 de março de 1963 e é tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB), da reserva. Ele foi o primeiro astronauta brasileiro e sul-americano a ir ao espaço, na missão batizada “Missão Centenário”, em referência à comemoração dos cem anos do voo de Santos Dumont no avião 14 Bis, realizado em 1906.
 
Em 30 de março de 2006, partiu em direção à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave russa Soyuz TMA-8, com oito experimentos científicos brasileiros para execução em ambiente de microgravidade. Retornou no dia 8 de abril a bordo da nave Soyuz TMA-7 e em poucas semanas foi para a reserva. “A função de astronauta é civil, não consegui entender a polêmica que causou aqui no Brasil. Em todo mundo é assim”, observou Pontes num vídeo depoimento produzido por sua assessoria.