COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

25 de Abril, 2013 - 21:00 ( Brasília )

Brasil e Japão avançam nas discussões para cooperação espacial


AEB


Pesquisadores brasileiros serão enviados ao Japão dentro do plano "Brazilian Space Capacity Building Iniciative, da AEB, que tem apoio do Programa Ciências sem Fronteiras

Autoridades do Brasil e do Japão ligadas à área espacial reuniram-se na Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI) para tratar de dois temas do interesse bilateral: a cooperação para o uso de tecnologias espaciais na gestão de desastres naturais e a formação de especialistas para o Programa Espacial Brasileiro.

Os dois países acordaram que o Brasil enviará pesquisadores ao Japão dentro do plano "Brazilian Space CapacityBuildingIniciative" (em tradução livre, Iniciativa Brasileira para a Formação de Especialistas na Área Espacial), da AEB, que tem apoio do Programa Ciências sem Fronteiras. Especialistas japoneses também deverão vir ao Brasil para realizar cursos na área espacial. O objetivo é formar mão de obra qualificada, principalmente em tecnologias críticas ainda não dominadas pelo país.

O Japão tem grande experiência na gestão de desastres naturais. Sua proposta de cooperação no uso das tecnologias espaciais foi bem recebida pelos brasileiros. Os detalhes dessa cooperação serão discutidos em novas reuniões, em datas a serem marcadas.

O encontro ocorreu em Brasília, no dia 18 de abril, em Brasília. Participaram da reunião o diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da AEB, Petrônio de Souza; o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Carlos Gurgel; e o chefe da Assessoria de Cooperação Internacional, José Monserrat Filho, da AEB.

Também estiveram presentes representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad); do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, (Cemaden); do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); do Ministério das Relações Exteriores (MRE); da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); da Agência Nacional de Águas (ANA); e da Universidade de Brasília (UnB).

Representando o Japão, participaram representantes do Escritório Nacional de Política Espacial do Japão (que coordena todo o programa espacial japonês), da Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA, sigla em inglês), da Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA, sigla em inglês), da Universidade de Wakayama, da Universidade Internacional para a Formação de Missões (UNIFORM) e da Embaixada do Japão.