COBERTURA ESPECIAL - Shot Show - Armas

08 de Fevereiro, 2012 - 12:27 ( Brasília )

Polícia americana compra armas russas

Os Estados Unidos vão comprar da Rússia um lote de espingardas semi-automáticas Saiga-12, calibre 12 e de alma lisa, para suas unidades policiais.

Aleksandr Korolkov

As espingardas são produzidas em Ijevsk (capital da Udmúrtia, república federada da Rússia) pela fábrica de armas Izhmash. O contrato de compra foi assinado na Feira Internacional de Shot Show realizada entre 17 e 20 de janeiro em Las Vegas,  divulgou a assessoria de imprensa da Izhmash.

Segundo o diretor-geral da Izhmash, Maksim Kuziuk, a fábrica de armas de Ijevsk está há muito tempo presente no mercado norte-americano, classificado por Kuziuk como “muito grande e promissor”. Cerca de 40% das armas de caça e esportivas produzidas pela Izmash são vendidas no mercado norte-americano.

De acordo com o diretor-geral, os policiais norte-americanos conhecem há muito a espingarda semi-automática Saiga-12 e compram essa arma para desempenhar suas funções profissionais (nos EUA, os policiais têm o direito de escolher suas armas pessoais). Em 2011, a Izhmash manteve intensas negociações com departamentos de polícia norte-americanos. O primeiro lote das Saiga-12 já foi entregue, mas o valor do contrato e a quantidade de armas recebidos pelos EUA não foram divulgados.

Entre as principais caraterísticas da Saiga-12, Kuziuk citou sua elevada confiabilidade (a espingarda utiliza o mesmo mecanismo automático do fuzil Kaláchnikov), elevada cadência de tiro, troca rápida do carregador, elevada qualidade do cano (que é fabricado com a utilização da tecnologia de forjamento a frio, o que aumenta a durabilidade do produto) e o nível de resistência típico das armas de guerra.

Outro traço marcante da arma, também muito apreciado pelos policiais norte-americanos, é a possibilidade de usar diferentes munições, já que o uso de diferentes munições em espingardas análogas de fabricação estrangeira causa problemas em termos de confiabilidade, enquanto as armas universais custam muito mais caro, afirma Kuziuk.

Ainda de acordo com o responsável, a compra de armas russas pela polícia norte-americana traz a expectativa de que os produtos da Izhmash tenham também demanda no mercado norte-americano de armas de caça onde já estão presentes as carabinas Saiga 7,62 de alma raiada (versão de caça do fuzil Kaláchnikov) e Saiga-12.

Durante a exposição internacional Shot Show, realizada entre 17 e 20 de janeiro em Las Vegas, a Izhmash ganhou um importador exclusivo no mercado americano, a empresa Russian Weapon Company, e um parceiro para a produção dos modelos clássicos de armas, a empresa Fime Group.

O grande interesse pelas armas da Izhmash foi demonstrado também pelos países da América Central, que antes só podiam importá-las através de intermediários nos EUA. “A Izhmash já recebeu os primeiros pedidos de entrega direta de armas de caça e esportivas da Guatemala, Jamaica e outros países do Caribe. Por enquanto, a empresa tem fraca participação no mercado latinoamericano, mas espera aumentá-la”, diz Maxim Kuziuk.

No Brasil, os produtos da Izhmash não estão presentes. Maxim Kuziuk considera o mercado brasileiro como muito difícil para os fabricantes de armas russos em termos de concorrência com numerosos fabricantes locais. “No Brasil, o mercado não é tão volumoso quanto nos EUA, então os fabricantes locais oferecem produtos mais baratos. Portanto, o ingrediente decisivo do sucesso é o preço.”

 

 



Outras coberturas especiais


Vant

Vant

Última atualização 22 SET, 16:00

MAIS LIDAS

Shot Show