12 de Abril, 2012 - 12:10 ( Brasília )

Segurança

ABIMDE participa com pavilhão brasileiro na LAAD Security


A ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) marca presença na primeira edição da LAAD Security, Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, que ocorre dnos dias 10 a 12 de Abril, no Riocentro, no Rio de Janeiro.

A entidade montou um pavilhão brasileiro que conta com a participação de 14 empresas. Além dessas, o evento traz cerca de mais 15 companhias que fazem parte da Base Industrial de Defesa Nacional. Dentre as participantes estão Atech, Condor, Emgeprom, Flir, Imbel, Kryptus, Santos Lab, Megatech, DCA, Dimensão, Polidefensor e Ares. Durante os três dias, a entidade dará todo o suporte necessário para as empresas nacionais. “Essa é uma forma de estimular a participação dessas empresas em outras feiras, inclusive as internacionais. Estar presente nesses eventos é muito importante. Dificilmente você fechará algum contrato no momento, mas vai gerar uma rede de contatos que será bastante útil em um futuro próximo”, explica o Almirante Carlos Afonso Pierantoni Gambôa, vice-presidente executivo da ABIMDE.

Para ele, a LAAD Security mostra, principalmente, que defesa e segurança andam juntas. “O Brasil vai sediar grandes eventos e tem de estar forte. A lei e a ordem precisam estar garantidas no País. Além disso, o bem-estar da nação depende de uma segurança sólida”, comenta Pierantoni.

De acordo com o vice-presidente da entidade, o Brasil tem condições de, com suas empresas, ter uma segurança compatível com seu crescimento econômico. Para que as companhias nacionais se destaquem em meio a tantas outras, incluindo as estrangeiras, Pierantoni diz que o mais importante para a indústria nacional é mostrar toda a sua criatividade e os avanços tecnológicos adquiridos ao longo dos anos. “Essa é uma grande oportunidade para as empresas nacionais compararem seus produtos e suas tecnologias com as oferecidas pelo mercado internacional, além da possibilidade de fazerem inúmeros contatos que podem gerar parcerias e troca de informações, possibilitando agregar novas tecnologias aos produtos brasileiros”, finaliza o almirante.