26 de Janeiro, 2012 - 09:59 ( Brasília )

Segurança

Mudança na cúpula da PF

Marcos Salém deixa a Diretoria de Inteligência Policial, terceiro cargo na hierarquia da corporação, e vai para a França. É a segunda troca de comando em apenas dois dias

EDSON LUIZ

A Polícia Federal voltou a fazer mudanças em sua cúpula e, ontem, trocou o terceiro homem na hierarquia da corporação. O diretor de Inteligência Policial, Marcos David Salém, deixa o cargo para ser adido na Embaixada do Brasil em Paris, no posto hoje ocupado por Jorge Pontes, ex-chefe da Interpol no Brasil, que volta ao país. A vaga de Salém será assumida pelo atual chefe da área de Gestão de Pessoal, Maurício Valeixo.

Essa é a segunda mudança em dois dias, já que, na terça-feira, o secretário extraordinário para Grandes Eventos, José Ricardo Botelho, pediu exoneração por problemas pessoais. O órgão será o responsável pela segurança da Copa de 2014, da Rio+20 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Na PF, a troca de Salém foi considerada como natural, já que, em algumas áreas estratégicas da corporação, como a Diretoria de Inteligência Policial (DIP), as mudanças são feitas a cada dois anos. Porém, Salém, ex-superintendente da PF em Minas Gerais, estava no cargo havia cinco anos. A área que o diretor atuava é considerada uma das mais poderosas na instituição, por lidar com questões delicadas. No passado, era responsável por todas as grandes operações realizadas pela Polícia Federal — hoje, as ações estão descentralizadas.

Ainda não há substituto indicado para a vaga de Valeixo na área de Gestão de Pessoal, mas a tendência é que o posto seja ocupado por algum coordenador-geral, o segundo cargo mais importante nas diretorias. Valeixo, que já foi superintendente da PF no Paraná, é considerado um delegado da nova geração, muitos dos quais assumiram chefias a durante a gestão de Luiz Fernando Corrêa à frente da instituição, entre 2007 e 2011.

Na terça-feira, houve outra mudança na corporação, quando José Ricardo Botelho deixou a Secretaria de Grandes Eventos. O atual corregedor-geral da Polícia Federal, Valdinho Jacinto Caetano, assumirá o posto, conforme antecipado pelo Correio na edição de ontem. "O delegado Botelho fez um excelente trabalho na secretaria, mas teve problemas pessoais. Agora, estamos colocando alguém à altura dele", enfatizou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, ao anunciar o nome do substituto.