03 de Setembro, 2013 - 11:20 ( Brasília )

Segurança

Segurança de Dilma será reforçada no Sete de Setembro

Haverá mais policiais do que participantes do desfile; plano é revistar todas as mochilas

BRASÍLIA - O governo adotará medidas especiais para garantir a segurança da presidente Dilma Rousseff e evitar que protestos marcados para coincidir com as comemorações do Sete de Setembro degenerem em violência. Policiais e militares deverão isolar a Esplanada dos Ministérios e reforçar, especialmente, a segurança dos prédios da Presidência, do Itamaraty e do Congresso. 
 
As medidas especiais estão sendo acertadas entre representantes da Secretaria de Comunicação da Presidência, do Gabinete de Segurança Institucional, do Ministério da Defesa e da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. 
 
O plano dos organizadores é reduzir o tempo de desfile de pouco mais de duas horas para, aproximadamente, uma hora e quinze minutos. O bloco dos Dragões da Independência, a tradicional guarda presidencial, desfilará com metade de seus integrantes. Será reduzido à metade o número de tanques e outras máquinas de guerra no desfile. 
 
Policiais militares vão revistar quem chegar à Esplanada com mochilas e sacolas. O objetivo é evitar que manifestantes levem bombas e outros artefatos de alto risco para áreas de concentração de multidões ou para serem usadas em possíveis ataques a prédios públicos, como aconteceu nos protestos de junho. 
 
Serão destacados 2.400 policiais para a segurança, bem mais que os 1.850 participantes do desfile. A Esquadrilha da Fumaça não participará das comemorações. A explicação da Defesa é que a esquadrilha está em processo de troca de aviões. Os Tucanos T-27, usados nas paradas militares anteriores, estão sendo substituídos por Super Tucanos T-29