17 de Maio, 2011 - 11:40 ( Brasília )

Segurança

Giuliani presta assessoria a candidata do Peru em questões de segurança

Conhecido por políticas de 'tolerância zero', ex-prefeito de Nova York está na capital Lima para auxiliar Keiko Fujimori

O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, conhecido por ter reduzido o número de crimes durante seu mandato com políticas de "tolerância zero", assessorará a candidata à presidência do Peru Keiko Fujimori em temas de segurança civil.

Giuliani, que nesta segunda-feira visita em Lima várias delegacias e outros pontos da cidade, disse em declarações à Rádio Programas del Perú (RPP) que foi a equipe de campanha de Keiko Fujimori, filha do ex-presidente preso Alberto Fujimori, que entrou em contato com ele.

O ex-prefeito nova-iorquino (1994-2001) e hoje consultor em temas de segurança já trabalhou em países latino-americanos como México, Brasil e Colômbia e decidiu enviar ao Peru dois especialistas que estão há dois meses no país e com os quais articulará as recomendações para a candidata.

Giuliani, que afirmou ter se surpreendido "muito" com a percepção de insegurança no Peru, reiterou que os programas para reduzir os índices de criminalidade devem se adaptar à realidade de cada região. "Antes de fazer recomendações, é necessário conhecer o povo local, porque não há um método único que possa servir para todos os lugares", declarou.

O americano advertiu que reduzir os níveis de criminalidade nas cidades é algo que "não se faz em dois meses ou mais", e citou como exemplo os "dois anos" necessários para ver resultados em Nova York e os quatro anos para a formação de uma consciência cidadã.

Polícia

Para Giuliani, o apoio da população é fundamental para conseguir bons resultados na redução da criminalidade, mas também insistiu na necessidade de criar um corpo policial "honesto, responsável, que preste contas".

Giuliani foi eleito "Homem do Ano" em 2001 pela revista americana Time pela "força sobrehumana" demonstrada após os ataques terroristas do 11 de Setembro. Porém, foi muito criticado pelas frequentes violações dos direitos cidadãos por parte da polícia nova-iorquina em sua perseguição a criminosos.

A agenda de Giuliani no Peru incluiu também sua participação em um congresso de segurança na cidade de Trujillo, no dominmgo, em que defendeu estabelecer penas carcerárias a autores de delitos menores como roubo de celulares.

Keiko disputará o segundo turno das eleições presidenciais no Peru no dia 5 de junho contra o candidato Ollanta Humala.

*Com EFE