COBERTURA ESPECIAL - Russia Docs - Tecnologia

06 de Fevereiro, 2016 - 11:00 ( Brasília )

A Russa Shvabe cria módulo eletrônico inovador de interface neuromuscular

Holding pertencente ao conglomerado Rostec lança módulo eletrônico de interface neuromuscular para exoesqueletos. Tecnologia será apresentada na OTWorld 201

A holding Shvabe, pertencente ao conglomerado Rostec, corporação estatal da Federação da Rússia que desenvolve, fabrica e exporta produtos industriais de alta tecnologia para o uso civil e militar, anuncia o início da produção do primeiro lote de um módulo eletrônico inovador de interface neuromuscular para exoesqueletos e que será utilizado em próteses biônicas.

O equipamento foi desenvolvido pela Fábrica de Ótica e Mecânica de Zagorsk (ZOMZ, na sigla em russo) e integra um amplo programa federal denominado “Medicina do Futuro”. O dispositivo foi testado com sucesso e aprovado pelo Conselho Científico e Técnico do Ministério da Indústria e Comércio da Federação da Rússia que, por sua vez, já liberou o produto para produção em série.

“Desenvolvemos um módulo eletrônico revolucionário para ser colocado em próteses de braço, tornozelo e na região do joelho. O sistema detecta e registra os sinais emitidos pelas fibras musculares ainda preservadas nas extremidades. Depois de analisá-los, o dispositivo ativa a função de movimento: fechamento e abertura da mão, rotação, abdução-adução do dedo indicador.

Os testes mostraram excelentes indicadores de sensibilidade do equipamento e a sua consistência ao registrar os sinais, bem como a alta estabilidade do sistema de controle, mesmo em voluntários não treinados, ou seja, sem preparação prévia”, apontou Sergey Popov, o vice-diretor-geral para a área de pesquisa, desenvolvimento e inovação da Shvabe.

Os testes do produto foram realizados em São Petersburgo no Instituto Científico G. A. Albrecht de Perícia Médica, Próteses e Reabilitação, ligado ao Ministério do Trabalho da Rússia, e contaram com a participação do público-alvo do produto: pacientes que perderam a mobilidade de extremidades. Os testes foram efetuados em equipamento automatizado criado especialmente para este projeto. Como resultado, altos indicadores de eficiência do produto foram alcançados.

A tecnologia de controle biônico, que é baseada em um princípio totalmente novo, gerou considerável interesse de empresas nacionais e estrangeiras. Em maio de 2016, o novo produto será apresentado na OTWorld, renomada exposição internacional de equipamentos ortopédicos e de reabilitação, prevista para ocorrer na cidade de Leipzig (Alemanha).

Atualmente a holding Shvabe também considera todo o espectro da possível utilização da nova tecnologia: o uso do sistema de controle em consoles de jogos, na manipulação de robôs industriais, bem como em estruturas de exoesqueletos e no gerenciamento de diversos dispositivos técnicos.

A fábrica ZOMZ expandiu em 2015 a aplicação da certificação ISO 9001 - que hoje permite que a empresa fabrique produtos para o mercado internacional. A lista de encomendas já está sendo formada e a documentação necessária para a proteção dos direitos de propriedade intelectual sobre o desenvolvimento da Shvabe na Rússia e no exterior também está sendo formulada.

Tendência Global: A Substituição dos Ciborgues

Atualmente a robótica se converteu em um elemento chave para o desenvolvimento de próteses, inclusive aquelas que podem substituir totalmente a função de extremidades perdidas. As maiores dificuldades surgem no desenvolvimento da tecnologia de conexão da prótese com o corpo humano.

Existem duas abordagens principais. A primeira consiste em uma leitura de impulsos musculares e neurais na parte preservada da extremidade, que são processados, convertidos em sinal e transmitidos para a prótese. A segunda é uma leitura dos sinais elétricos do cérebro. Esta última é mais promissora, mas também a mais complexa.

A criação de uma conexão direta com o cérebro permitirá criar próteses para pacientes com paralisia total, bem como exoesqueletos especiais para reabilitação após ferimentos graves. Além disso, uma conexão direta com o cérebro possibilitará ainda criar próteses com um canal reverso, caso em que a pessoa sente o movimento da prótese. Este é um pré-requisito indispensável para a substituição completa da função da extremidade perdida. No entanto, em alguns casos, a tecnologia de leitura dos impulsos musculares pode ser preferível.

A Rostec definiu como prioridade em seu projeto um foco misto: a corporação está desenvolvendo simultaneamente a interface “Cérebro-Computador” e a “Interface Neuromuscular”. Os especialistas da companhia criaram um equipamento experimental que permite controlar dispositivos eletrônicos e mecatrônicos através da força do pensamento.

Na invenção são implementadas as tecnologias mais avançadas: um mecanismo de processamento digital adaptativo da atividade elétrica do cérebro e um método não-invasivo de trabalho. A característica distintiva são eletrodos secos especiais que, embutidos na interface (em forma de capacete) permitem, sem contato direto com o cérebro, registrar as intenções de uma pessoa com alto grau de precisão.

A interface cérebro-computador está sendo atualmente testada. Já os testes da interface neuromuscular, cuja funcionalidade se baseia no registro de sinais elétricos a partir de fibras musculares, têm evoluído consideravelmente. Está previsto para este ano o início da produção em massa de próteses biônicas baseadas nesta tecnologia.

Concorrência no Mercado Mundial

O desenvolvimento desta tecnologia figura entras as prioridades da Rostec, principal corporação industrial da Rússia. De acordo com a nova estratégia da companhia, aprovada no fim de 2015, a empresa planeja elevar em 17% suas receitas ao ano, incluindo através da saída aos mercados internacionais de produção civil e intelectual.

A Rostec está focada em se converter em uma das sete maiores corporações globais do mundo até 2025, inclusive por meio da expansão para mercados “intelectuais” - onde o valor agregado dos produtos é mais da metade, formado principalmente pelos investimentos intelectuais em tecnologias.

Entre as áreas de grande perspectiva para a companhia, destacam-se: equipamentos médico-hospitalares, biotecnologias, equipamentos de racionamento energético e de recursos, produtos e redes de telecomunicações de nova geração, além dos segmentos de TI e eletrônica. A empresa também atua no desenvolvimento de materiais de robótica e sistemas de gestão e controle, incluindo os automatizados. A companhia ainda está presente nos segmentos de cibersegurança e produção de OLED (diodos de luz orgânicos).

A melhora da qualidade de vida do ser humano e do meio ambiente é um ramo de atividade estratégica que concentra todos os esforços dos profissionais da Rostec nas áreas de medicina e biotecnologia, incluindo o desenvolvimento de próteses intelectuais. Toda a iniciativa está relacionada à criação de um ambiente intelectual, incluindo um novo entendimento sobre o espaço do cidadão, seus meios de transportes (comum e pessoal) e os sistemas automatizados de controle e gestão de cidades. Tudo o que envolve a área de robótica.