COBERTURA ESPECIAL - Prosub - Naval

25 de Agosto, 2016 - 16:30 ( Brasília )

Construtor naval francês aciona suspeito de vazar dados de submarinos Scorpène


O construtor naval francês DCNS entrou com uma ação na Justiça contra um indivíduo que teve a identidade preservada por abuso de confiança, recebimento e cumplicidade, após o vazamento de informações técnicas confidenciais de seus submarinos Scorpène, informou uma fonte judicial.

Esta ação será examina pela procuradoria, que decidirá se vai abrir uma investigação preliminar, confiar as investigações a juízes de instrução ou arquivá-la.

A divulgação de 22.400 páginas, que o jornal The Australian afirma ter consultado, detalham as capacidades de combate do Scorpène, concebido para a marinha indiana, mas que várias unidades foram compradas por Malásia e Chile.

O Brasil deve passar a utilizar submarinos desde tipo a partir de 2018.

O vazamento pode preocupar também a Austrália, que outorgou em abril um contrato ao grupo DCNS para conceber e fabricar sua próxima geração de submarinos, batizada Barracuda.

Os documentos vazados descrevem as sondas dos submarinos, seus sistemas de comunicação e de navegação, e 500 páginas são destinadas ao sistema de lança-torpedos, precisou The Australian.

Segundo o jornal, o DCNS teria sugerido que o vazamento poderia ter se originado na Índia e não da França.

Os dados teriam sido retirados da França em 2011 por um ex-oficial da Marinha francesa que, na época, era empreiteiro do DCNS.

Os documentos poderiam ter passado por empresas do sudeste asiático antes de serem enviados a uma empresa na Austrália, acrescenta o jornal.

O site do DCNS afirma que o Scorpène está equipado com a tecnologia mais avançada, convertendo-o no mais letal dos submarinos de tipo convencional.

Artigo relacionado:

Construtor naval francês tem dados vazados sobre os submarinos Scorpène [Link]



Outras coberturas especiais


Doutrina Militar

Doutrina Militar

Última atualização 17 AGO, 00:45

MAIS LIDAS

Prosub