COBERTURA ESPECIAL - Prosub - Naval

25 de Novembro, 2014 - 14:46 ( Brasília )

PROSUB - Fase de Testes Avança

Seção de Qualificação é transportada para Prédio Principal do Estaleiro de Construção


Rio de Janeiro – O programa PROSUB avançou em mais uma etapa de testes, com o transporte da Seção de Qualificação do prédio da UFEM (Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas), da Itaguaí Construções Navais (ICN), para o Prédio Principal do Estaleiro de Construção (ESC), situado no complexo naval da Ilha da Madeira. Aproximadamente oito horas de trabalho marcaram o deslocamento da peça – que pesa 37,95 toneladas, com 6 metros de diâmetro por 6 metros de comprimento, que foi transportada por terra e mar. Ao final, a Seção foi alocada no Prédio Principal do Estaleiro de Construção.
 
A Seção de Qualificação tem como finalidade testar e homologar os processos produtivos a serem empregados na fabricação do casco resistente, antes de aplicá-los definitivamente nas Seções que serão construídas para compor os submarinos. Nela, também são homologados os processos de soldagem de estruturas reforçadas denominadas peças de penetração, por onde passarão itens como cabos e tubulação para o interior do navio. Esta seção foi fabricada com mão de obra 100% nacional. Uma nova Seção de Qualificação deverá ser fabricada para os testes do submarino de propulsão nuclear.
 
Sobre o PROSUB

O Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil (PROSUB), firmado no final de 2008 como parte do Acordo Estratégico Brasil-França, prevê a construção de quatro submarinos convencionais, um submarino de propulsão nuclear, um Estaleiro e uma Base Naval, em Itaguaí (RJ).  O acordo prevê ainda que o submarino de propulsão nuclear seja totalmente desenvolvido no País.

Sobre a ICN

A Itaguaí Construções Navais (ICN) é composta pela Odebrecht Defesa e Tecnologia (59%) e pela companhia francesa Direction des Constructions Navales et Services - DCNS (41%), tendo ainda a participação da Marinha do Brasil, por meio de uma “Golden Share”, detida pela EMGEPRON.

A empresa foi criada para a construção dos cinco submarinos – quatro com propulsão convencional e um com propulsão nuclear – previstos no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), da Marinha do Brasil.