COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Defesa

07 de Fevereiro, 2017 - 14:00 ( Brasília )

CCOPAB realiza Estágio para Comandantes e Estado-Maior para o 26º CONTBRAS


O 26º contingente brasileiro de Força de Paz (CONTBRAS) que atuará na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH), com emprego previsto para o 1º semestre de 2017, iniciou sua preparação com o Estágio para Comandantes de Organizações Militares e Estado-Maior (EPCOEM).

Ministrado pelo Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), o Estágio tem como objetivo desenvolver, nos comandantes e no Estado-Maior, competências importantes à missão que logo será desempenhada no Haiti, sob a égide das Nações Unidas (ONU), como meticulosidade, flexibilidade, responsabilidade e decisão.

Na primeira fase, o Comandante do CCOPAB e sua equipe de instrução deslocaram-se para Brasília (DF), a fim de transmitir o conteúdo dos módulos de treinamento de pré-emprego para missões da ONU (Core Pre-deployment Training Materials – CPTM), que englobam assuntos relativos a princípios de operações de paz da ONU, leis internacionais relevantes, direitos humanos e respeito à diversidade.

Na semana seguinte, de 29 de janeiro a 3 de fevereiro, seguiu-se a segunda fase do Estágio nas instalações do CCOPAB, no Rio de Janeiro. Nessa etapa, atividades teóricas e práticas foram desenvolvidas, proporcionando, aos comandantes e ao Estado-Maior das organizações militares de Força de Paz do 26º contingente, a capacitação técnica necessária para o desenvolvimento das atividades relacionadas ao emprego de um contingente com tropa em uma missão das Nações Unidas.

A 2ª fase do estágio reuniu assuntos como Regra de Engajamento (ROE), estrutura legal das missões de paz da ONU, direitos humanos, investigação criminal e logística. Ao término, foi realizado um exercício prático de Posto de Comando, no qual os estagiários puderam ter contato com situações que possivelmente encontrarão no Haiti.

A missão do CCOPAB

O Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), com sede no Rio de Janeiro (RJ), tem como missão apoiar a preparação de militares das três Forças, bem como policiais militares e civis brasileiros e de nações amigas, para as missões de paz e de desminagem humanitária.

Militares da FAB iniciam treinamento para Missão de Paz da ONU¹

Trinta e sete militares da Força Aérea Brasileira (FAB) iniciaram os treinamentos para compor o 26º Batalhão de Infantaria Brasileiro de Força de Paz no Haiti (Brabat) que irá atuar na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH). Os militares fazem parte do efetivo da área do Quarto Comando Aéreo Regional (IV COMAR), sendo que dos 37 em treinamento, entre titulares e reservas, vinte e seis embarcarão para o Haiti em maio deste ano.

Este é o segundo contingente de militares enviados pelo Quarto Comando Aéreo Regional (IV COMAR) à missão de Paz ao Haiti. O primeiro foi em maio de 2013. Um dos militares voluntários que compõem o pelotão é o soldado Bruno Martins de Carvalho, que ingressou na FAB em agosto de 2012. Com 23 anos, casado, e pai de dois filhos pequenos, ele considera as dificuldades do dia a dia da missão, mas diz que não há motivação maior do que representar a Força Aérea e o Brasil em uma missão de paz.

“Sei que as adversidades virão, mas o que importa agora é o cumprimento da missão. Meus filhos e minha família estarão aqui, no Brasil, me apoiando e me esperando voltar ao término da missão”, ressalta o soldado De Carvalho.

O treinamento está sendo realizado junto ao Exército Brasileiro e possui uma grade de atividades que contemplam instruções de Adestramento Operacional, como operações de controle de distúrbio, abordagem e revista, patrulha, atendimento hospitalar tático, instrução de tiro, treinamento físico militar. Além de aulas dos idiomas creole e francês. 

O Comandante do Pelotão da FAB, Tenente de Infantaria João Espolaor Neto relata que todos estão motivados e cientes de suas responsabilidades.

"As expectativas são altamente positivas, pois acreditamos na diferença que faremos para ajudar a garantir a paz no Haiti”, explica o oficial.

A missão tem duração prevista de seis meses a um ano. A principal finalidade é manter o ambiente seguro e estável, além de apoiar as atividades de assistência humanitária e apoiar o fortalecimento das instituições nacionais.

Desde 2004, as tropas brasileiras participam da MINUSTAH atuando nas áreas mais violentas do país caribenho para reestabelecer a segurança e normalidade institucional do país.

¹com Agência Força Aérea, por Tenente Flávio Nishimori