COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Geopolítica

28 de Março, 2013 - 09:59 ( Brasília )

Brasil fará redução gradual do efetivo da missão de paz no Haiti entre o fim de abril e o início de junho


Vitor Abdala

A redução do efetivo de militares brasileiros no Haiti, que envolverá o retorno de 460 soldados ao Brasil, será feita gradualmente entre o final de abril e o início de junho deste ano. O efetivo diminuirá de 1.910 para 1.450 militares.

Segundo informação divulgada hoje (27) pelas tropas brasileiras no Haiti, o primeiro passo para a redução do efetivo será a extinção, no dia 12 de abril, do 2º Batalhão de Infantaria do Exército que integra a missão de paz, o Brabat 2, criado depois do terremoto que atingiu o Haiti, em janeiro de 2010.

Com a extinção do Brabat 2, uma primeira leva de militares, com 350 homens, deixará o Haiti entre 22 e 30 de abril. Dos cerca de 400 homens restantes do batalhão, 130 ficarão responsáveis pela desmobilização da base, localizada no Campo Charlie, na periferia de Porto Príncipe.

O restante será integrado ao 1º Batalhão de Infantaria do Exército, o Brabat 1, que dividirá com o Exército nepalês a responsabilidade pelo patrulhamento da área do Brabat 2. A partir da segunda quinzena de maio, está prevista uma troca dos contingentes, algo que ocorre de seis em seis meses.

O processo de redução de efetivo será concluído provavelmente no início de junho deste ano, quando os 130 homens que ficaram responsáveis pela desmontagem da base do Brabat 2 retornam ao Brasil.

As demais unidades das Forças Armadas brasileiras que atuam no Haiti, o Batalhão de Engenharia do Exército (Braengcoy) e o pelotão de fuzileiros navais, que têm efetivos bem mais reduzidos que os batalhões de Infantaria do Exército, não sofrerão mudanças.