28 de Novembro, 2014 - 14:28 ( Brasília )

Pensamento

Comentario Gelio Fregapani - No nosso País - As veias abertas – A corrupção na História e O advogado do diabo




Assuntos
No Primeiro  Mundo – velhas tensões

Na América do Norte – racismo exacerbado;  
Na América do Sul - A ilusão da UNASUL e do MERCOSUL
No nosso País- As veias abertas   – A corrupção na História e O advogado do diabo

 
No Primeiro  Mundo – velhas tensões

São continuas as notícias que, graças ao petróleo e gás de xisto, os EUA estão se tornando os maiores produtores de petróleo e gás natural. Os benefícios estendem-se além da auto-suficiência; reforça o poder hegemônico e a influência sobre seus principais aliados como o Japão e a Coréia do Sul. A baixa dos preços, uma das consequencias da produção americana, causa preocupação para os países exportadores, principalmente para a Rússia e a Venezuela. Se a atual produção do shale gás durar, significa que os Estados Unidos superaram a crise financeira e industrial e terão melhores condições para impor a desacreditada Nova Ordem Mundial.

A Rússia afirma que a Nova Ordem  é um acordo entre os anglo-saxões e alguns aliados para implantar um Governo Mundial, que no fundo será exercido pelas oligarquias financeiras transnacionais e para isso, pretendem desvirilizar os estados nacionais, fragmentando os maiores territórios para sua melhor administração comercial. Isto nós já sabíamos. Acrescentemos que entre os alvos principais (os BRICS) o nosso Brasil é o alvo mais vulnerável.

È conhecida a tentativa em desmembrar o nosso território em nações étnicas e embora não esteja comprovada a influência dos EUA na atual conversa de separatismo pós eleitoral é duvidoso que não aproveitem a oportunidade para enfraquecer a nossa coesão da mesma forma, tentam desmembrar os uigures e os tibetanos da China e a Criméia da Rússia. Hipocritamente ao reclamar da intervenção na Ucrânia omite as suas intervenções na Iugoslávia, no Iraque, no Afganistão, na Líbia e na Síria.

Por dever de justiça acrescentemos ainda que os EUA serão tão vítimas como nós pois é com o sangue de seus filhos que esse plano será operacionalizado e no final também eles não estarão isentos desse desmembramento, contudo ,persiste alguma dúvida: Sería a atual ofensiva estadunidense um esforço supremo para garantir sua posição antes da queda do dólar como padrão internacional? Essa política de intromissão, que arrisca a desencadear uma III Guerra Mundial visaría ganhar apenas no blefe ou estaría disposta à guerra enquanto não perderam a posição vantajosa?

Assinale-se que nem sempre os EUA são bem sucedidos em seus intuitos,quando em retaliação impôs sanções contra a Rússia e esta aproximou-se da China –. Não apenas a Rússia abriu suas reservas de gás à China, mas também aceitou fornecer à China sua sofisticada tecnologia militar, inclusive o formidável sistema de defesa aérea S-400, o que no passado, a Rússia sempre resistiu em fazer e assim  ficam os chineses sem acreditar em tal boa sorte. Tudo indica que o blefe não vai funcionar.

Ainda embrionária, a "guerra santa”, especialmente no Iraque e Síria, contra todos os princípios, parece ressuscitar os enfrentamentos religiosos de séculos passados. Não nos iludamos, a adesão de tantos jovens, inclusive ocidentais, mostra que não se extinguirá facilmente, mas haverá algo por trás disso?.
      
Hoje, estamos talvez assistindo ao Mundo sendo outra vez arrastado para a guerra, por mentiras e propaganda, para uns visando manter uma hegemonia ilusória, mas é difícil descobrir que grupo realmente está manuseando os cordéis das marionetes.
 
Na América do Norte – racismo exacerbado

Tumultos irromperam em 150 cidades com a Absolvição do Policial Branco, pela morte de um Jovem Negro, no Estado do Missouri, colocando um balde de gasolina na Velha Mística do “Racismo”, nos Estados Unidos. Aquestão permanece viva, mesmo passados muitos anos do assassinato do Pastor Martin Luther King, que sonhara que os “Homens não fossem considerados à partir da Cor da sua Pele”,novamente, por vários Estados Americanos, pessoas vão às ruas, queimando carros e prédios, apesar dos pedidos de moderação do próprio Presidente.É um problema difícil de lidar, quer pelo racismo dos “wasp” quer pelo dos próprios negros de lá, historicamente muito mais maltratados do que os nossos.

O problema, se tratado inadequadamente, pode ser o estopim de uma violência geral.  Um tratamento eficaz para o problema teria que compreender justiça e bondade. Justiça os ianques costumam ter, bondade nem sempre.
 
Na América do Sul - A ilusão da Unasul e do Mercosul

A integração aos países da América Latina está previstas nos princípios fundamentais na Constituição de 88 (Art. 4º, Parágrafo único). Uma constituiçãozinha maligna! Um país com um pingo de conhecimento geopolítico jamais colocaria em sua constituição a decisão de integrar-se política, econômica ou culturalmente a outras soberanias.

Essa aberração foi colocada na constituição pelo enganador do Ulysses,incrementada pelo inconsequente do Sarney e pelo corrupto do Lula, este último provavelmente como meio de apoiar os regimes esquerdistas mais caros ao coração dele. Não atentaram esses maus políticos que o objetivo da Unasul é o de afogar as independências nacionais sul-americanas a favor de uma nova "Pátria Grande", sujeita aos ditames das decisões dos demais países que nos rodeiam como se o nosso Brasil não fosse grande suficiente.

Felizmente isso não será assimilado pelo nosso povo, nem mesmo o Mercosul que nunca nos trouxe vantagem. É voz comum que “eles ficam com o nosso mercado e nós ficamos com o “sul”.

Se o Mercosul já era uma utopia, agora se desmancha. O Paraguai vai entrar para a área de influência dos USA comercialmente e além disso, permitiu que os americanos instalem uma base militar no seu território, talvez nos falte a coragem de retaliar cortando o porto livre, mas com a Argentina falida, a Venezuela as vésperas de uma revolução sangrenta e a Bolívia com um presidente mais inconsequente que o Lula, o Mercosul está condenado e sem ele as bases da Unasul cairão por terra. Podem retirar aquela  bandeira que hastearam ao lado do nosso pavilhão sagrado no Palácio do Planalto.
 
As veias abertas no nosso País  – A corrupção na História

Certamente houve anteriormente corrupção na administração federal, mas no tempo antigo, tal como pequenas esfoladuras, sangravam mas não chegavam a comprometer a saúde. Certamente a corrupção tomou vulto na construção de Brasília e  terá sangrado a economia, mas compensou.Os sangramentos foram consequencia da necessidade. Sem a corrupção, semi oficializada, certamente não teria acontecido a construção da Capital, que criou condições para a ocupação do Centro-Oeste, sendo a maior jogada geopolítica desde a Independência. Até onde se sabe, não foram para o Governo nem para os partidos.

Com certeza a corrupção diminuiu durante o Governo Militar. A modéstia das posses dos generais-presidentes o comprova. Se houve então alguma corrupção terá sido nos baixos escalões da administração e passou despercebida da rigorosa justiça da época, mas a partir da “redemocratização” romperam-se as veias. A corrupção do Sarney ainda em um caráter regional prossegue sem grandes abalos. Na era Collor ficou conhecida a “República das Alagoas” que resultou no impeachment, mas pouco se sabe de quanto poderia ter recebido para criar a área ianomâmi. Quem pagaria? O Cartel Internacional do Ouro, ou seja a oligarquia financeira internacional, ou seja, à corrupção somou-se a traição à Pátria.

Passada a era Collor a corrupção e a traição expandiram-se exponencialmente. Nada antes se comparou às privatizações/
desnacionalizações do FHC. A hemorragia  atingiu as principais artérias da economia e entre as 58 empresas vendidas (em grande parte ao estrangeiro) avultam a Vale do Rio Doce,  as telefônicas, as siderúrgicas, os bancos estaduais, muitas hidrelétricas, linhas de transmissão, distribuidoras etc, vendidas em média por 10% de seu valor.

Talvez as mais maléficas atuações de FHC e seu  preposto Reichstul possam ter sido os leilões do petróleo e a tentativa de venda da Petrobras. Disse o governo de então que arrecadou 85,2 bilhões. O valor justo passaria de um trilhão, mas mesmo assim não teria valido a pena pois as remessas de lucros e a falsa compra de tecnologia passam a representar um sangramento permanente. Quanto FHC e seus asseclas teriam amealhado para trair a própria Pátria? É difícil saber. Imagine o leitor.

A indignação popular (hoje quase esquecida) foi tão grande que propiciou a eleição de um indivíduo despreparado, inculto, reconhecidamente inepto e para muitos, representando uma ameaça comunista. Apesar da inépcia, o Lula evitou a continuidade das desnacionalizações, mas loteando os cargos entre seus vorazes partidários multiplicou os ferimentos, estes ainda que significativos, quase se eclipsam diante da hemorragia iniciada pelo FHC e não controlada nos governos Lula e Dilma.

Agora, no final do primeiro governo Dilma aparecem providências para diminuir a hemorragia. Diminuir, não estancar. Pois para estancar seria necessário retomar o que foi desnacionalizado. Contudo, graças a boa atuação da Polícia Federal alguns ferimentos serão tratados e quem sabe alguns dos corruptos punidos.

Como seria de esperar, a politicalha toda tenta se aproveitar de tais eventos. O Governo afirmando que sua administração foi a única que permitiu a devassa e a oposição mostrando que os corruptos apanhados são em maioria gente do próprio Governo.

Apesar de tudo fica uma mensagem de esperança: Nem FHC/ Reichstul nem  Lula/Gabrielli nem toda a quadrilha que  loteou a Petrobrás conseguiu destruir a nossa Petrobras!!!!  A produção de petróleo no Brasil atingiu recorde em outubro com 2,126 milhões de barris por dia. Outubro foi o nono mês consecutivo de crescimento da produção no país", conforme comunicado oficial.
 
O maior roubo da História

Revistas, políticos, judiciário, pessoas comuns até jornais do exterior dizem que mensalão e Petrolão foram os maiores roubos da nossa Historia.   Sem diminuir a importância dessa ladroagem devemos nos lembrar da   venda da CVRD .Avaliada no CONSENSO DE WASHINGTON DE 1982, (FHC  presente), por  Rockfeler  e Jorge Soros, de que o valor seria algo em torno de 5,5 TRILHÔES DE DÓLARES. Pois bem, a CVRD, foi privatizada 15 anos depois, por FHC, por 3,3 bilhões de dólares, compreendendo 7.500 áreas de mineração com as maiores jazidas do mundo, 03 ferrovias, 03 portos de grande calado, 30,navios da Docenave e mais outras menores. Seus funcionários comentam que ainda haveria muito dinheiro em caixa e que o pagamento seria pago com lucro de 06 meses. Que a Vale, estatal, não dava tanto lucro pelos programas de assistência social que executava e que  o preço justo em 1987seria algo em torno de 7 a 8 trilhões de dólares.

Contudo não podemos nos iludir pensando que não havia corrupção. Havia sim e muita, mas a da venda caberia no livro dos recordes.. 
 
Dinheiro emprestado

Uma pessoa pode necessitar de dinheiro e ter que pedir emprestado, mas para um país que pode imprimi-lo só a necessidade urgentíssima de divisas para compras no exterior (de petróleo ou de alimentos) poderia justificar, mesmo consciente que terá que pagar com juros. Internamente, quando um governo tem despesas maiores do que suas receitas, se deseja fazer determinadas obras ou o que for, poderá imprimi-lo em vez de contrair um empréstimo. Ambos causam a mesma inflação e o empréstimo tem os juros e sendo externo,causa a perda parcial da autonomia. Há razões para crer que os pedidos de empréstimo visam mesmo as “comissões”, da mesma forma que as “licitações” dirigidas.  

Há que se levar em conta o prejuízo que os juros da dívida tem causado ao nosso País, comendo quase a metade do superávit primário. Vem de longe o golpe da agiotagem da dívida. Esta explodiu com a decisão de FHC que a remunerou a juros exorbitantes. Nós pagamos 11% da divida, talvez os juros mais altos do mundo. Isto é um crime contra a economia nacional e vem causando a maior parte dos males que enfrentamos,  desemprego, problemas sociais, falta de verbas para obras essenciais, violência urbana, etc. Os EUA pagam 0,5% para os juros da divida interna, a Alemanha paga menos de 1%, a Rússia 1,5%.

O que um bom governo faria, uma vez tendo herdado essa maldita situação?  Certamente baixaria os juros.  – Mas então os credores retirariam o dinheiro emprestado, não é?   Claro que sim e certamente o investiriam em atividades produtivas assim aconteceu quando abolido o tráfico negreiro o capital migrou para a agricultura e indústria, trazendo o progresso. Com juros altos só um tolo empregaria seu capital em um empreendimento produtivo podendo, só com os juros ganhar mais do que o empreendimento lhe remuneraria.  - E daí? Haveria numerário suficiente para honrar o capital retirado? - Se não houver, o que fazer? -  Fácil, imprimir se necessário.
 
ONGs usam índios para impedir o progresso

Enquanto discutimos política, ativistas do Greenpeace reuniram uns 60 índios Munduruku, para protestar contra a construção do Complexo Hidrelétrico do Tapajós, no Pará. Uma enorme mensagem foi marcada com pedras na areia de uma praia próxima à cachoeira de São Luiz do Tapajós, local previsto para receber a primeira das cinco hidrelétricas planejadas para ao longo do rio . Com potência de 8.040 MW, a usina São Luiz do Tapajós teve seu leilão anunciado após o governo ter conseguido a licença ambiental prévia, mas logo voltou atrás por pressão dos Mundurukus, insuflados pelas ONGs internacionais, pelo jeito o movimento ambientalista ignora que as necessidades de energia serão supridas, na ausência de hidrelétricas, por outras mais poluentes como as térmicas. Escondem esse dado pois o que querem é evitar a nossa ocupação da Amazônia, tarefa deles facilitada em época de crise política.

O protesto é parte das manifestações contra a construção das hidrelétricas do Tapajós. Outro ato desses prevê  mobilizar a presença de Dom Erwin Kräutler, bispo do Xingu, junto a outros três bispos e lideranças Munduruku, movimentos sociais e organizações como o Greenpeace, a Fase e naturalmente o antinacional Conselho Indigenista Missionário (CIMI)

O Advogado do diabo

Faleceu no dia 20 de novembro  Marcio Thomaz Bastos. Não nos alegra a morte de ninguém, mas sim o afastamento da influência nefasta desse advogado apátrida, cuja habilidade em explorar a Lei para frustrar a Justiça prestou imenso desserviço à sociedade nacional. Ministro da Justiça do governo Lula, se um dia o nosso País for dividido em “nações” étnicas, indígenas ou não muito terá a ver com a atuação dele.

Permaneceu por longo tempo no cargo e é, com certeza, o artífice da impunidade daqueles que dilapidaram o patrimônio público e amealharam dinheiro suficiente para pagar por seus serviços. Não há dúvida que  foi um advogado brilhante,mas a nação brasileira foi recompensada, até porque foi subtraído de nosso meio um habilidoso e dedicado advogado dos corruptos. 

Seu lema amoral, que lhe rendeu tanto dinheiro era: “defendo meus clientes da culpa legal. Julgamentos morais deixo para a majestosa vingança de Deus. Se acreditava em Deus certamente saberia que, mais cedo ou mais tarde,  estaria face a face com “Sua majestosa vingança” e que teria muitas contas a prestar. Chegou a hora e para esse acerto de nada lhe valem seus bens materiais, conquistados ao arrepio da moralidade. Só arrependimento pode tê-lo salvo.

Que Deus se apiede de sua alma.
 
Que Deus nos livre de outro Ministro da Justiça assim

Gelio Fregapani

Informação: Os comentários estarão disponíveis no Facebook
pessoal do autor Link