COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

21 de Setembro, 2018 - 11:15 ( Brasília )

Presidente sul-coreano diz que busca declaração de fim da Guerra da Coreia ainda este ano


O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse nesta quinta-feira que busca emitir uma declaração de fim da Guerra da Coreia ainda neste ano, e afirmou que o líder norte-coreano, Kim Jong Un, concorda com sua visão sobre o assunto.

Após realizar cúpula com Kim nesta semana, Moon disse que o tratado de paz virá depois da completa desnuclearização da península.

O presidente sul-coreano disse ainda que a declaração do fim da guerra poderia acelerar a desnuclearização da Coreia do Norte.

Presidente sul-coreano realiza sonho ao visitar montanha sagrada da Coreia do Norte com Kim

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, riscou um dos principais itens de sua lista de sonhos a realizar nesta quinta-feira: subir a Montanha Paektu, na Coreia do Norte, com o líder norte-coreano, Kim Jong Un.

Depois de prometerem novas medidas para manter as conversas nucleares na quarta-feira, Moon e Kim decidiram aproveitar o último dia de um cúpula de três dias para subirem juntos a montanha simbólica na fronteira com a China.

Moon é conhecido por seu gosto pelo alpinismo, e fez escaladas no Himalaia ao menos duas vezes.

O presidente dizia há muito tempo que visitar a Montanha Paektu, que também é chamada de Baekdu na Coreia do Sul e de Changbai na China, era um “sonho muito aguardado”.

“Muitas pessoas do Sul poderiam subir a Montanha Paektu pelo lado chinês, mas decidi não fazê-lo, prometendo a mim mesmo que o faria em nosso solo”, disse Moon a Kim depois de chegar ao pico.

“Mas o tempo passou muito rápido, e pensei que meu desejo podia não se realizar, mas se realizou hoje”.

Quando Moon chegou ao aeroporto próximo da montanha, cerca de 1 mil norte-coreanos o saudaram acenando com flores e bradando “Pátria! Unificação!”

Moon e Kim pegaram um bonde até o Lago Paraíso, uma cratera vulcânica no topo da montanha, e caminharam pela área com suas mulheres e autoridades de ambos os lados.

Imagens mostraram os dois líderes sorrindo e posando com suas esposas, e Moon enchendo uma garrafa com água do lago.

“Os chineses nos invejam porque não conseguem descer ao lago pelo seu lado, mas nós podemos”, disse Kim.

“Deveríamos escrever outro capítulo da história entre o Norte e o Sul refletindo nossa nova história neste Lago Paraíso”.

Algumas autoridades sul-coreanas que acompanhavam Moon sugeriram convidar Kim e sua esposa à Montanha Halla, que é a mais alta de seu país e abriga um resort turístico.

“Temos um ditado antigo que diz que saudamos o sol em Paektu e saudamos a unificação em Halla”, disse a mulher de Kim, Ri Sol Ju.

Na quarta-feira Kim disse que visitará Seul no futuro próximo, o que seria a primeira viagem de um líder norte-coreano à capital da Coreia do Sul.


Líder norte-coreano quer 2ª cúpula com Trump para acelerar desnuclearização, diz Moon

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, quer realizar uma segunda cúpula com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para acelerar a desnuclearização, disse o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, nesta quinta-feira, citando fala de Kim durante cúpula nesta semana.

O líder norte-coreano, que recentemente propôs realizar a segunda reunião com Trump após uma inédita cúpula entre ambos em junho, também disse que declarar oficialmente o fim da Guerra da Coreia faria com que Pyongyang tomasse passos mais rápidos para abandonar seus programas nuclear e de mísseis, afirmou Moon.

“O presidente Kim expressou seu desejo de concluir a desnuclearização rapidamente e de focar no desenvolvimento econômico”, disse Moon durante coletiva de imprensa em Seul, descrevendo sua cúpula de três dias com Kim em Pyongyang.

“Ele disse esperar que (o secretário de Estado norte-americano) Mike Pompeo visite a Coreia do Norte em breve, e também que uma segunda cúpula com Trump aconteça no futuro próximo, para que o processo de desnuclearização avance rapidamente”, disse Moon.

Kim se comprometeu a trabalhar pela “completa desnuclearização da península coreana” durante seus dois encontros com Moon este ano e após sua cúpula com Trump, mas negociações sobre como implementar as vagas promessas não têm avançado.

Os EUA têm exigido ações concretas, como a divulgação completa das instalações nucleares e de mísseis da Coreia do Norte, antes de concordar com os principais objetivos de Pyongyang, que incluem uma redução das sanções internacionais e o fim oficial da Guerra da Coreia.

Uma declaração de fim da guerra não afetaria a presença de soldados norte-americanos e do Comando das Nações Unidas na Coreia do Sul, disse Moon, acrescentando que Kim concorda com sua visão.

“Seria uma declaração política que marcaria um ponto de partida para negociações de paz”, disse Moon.

“Um tratado de paz seria fechado, assim como a normalização das relações entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, depois que a Coreia do Norte atingir a completa desnuclearização”.

Representantes da Casa Branca e do Departamento de Estado norte-americano não responderam de imediato a pedidos por comentário.

 


VEJA MAIS