COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

23 de Agosto, 2016 - 11:00 ( Brasília )

Rússia deve fazer o máximo para lidar com ameaças da OTAN


O representante permanente russo na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Alexander Grushko, disse ontem (18) que a Rússia necessita de lidar com as ameaças provocados pelas ações recentes da OTAN, e ao mesmo tempo, está disposta a realizar o diálogo político com a Organização.

Segundo Alexander Grushko, a OTAN está implementando estratégia de contenção contra a Rússia. Nesta situação, a Rússia deve fazer o máximo para garantir a sua própria segurança. O recente reforço russo referente à presença militar do país na Península Crimean não era voltada à OTAN.

Entretanto, a Organização está a preparar-se para aumentar as tropas na costa do Mar Báltico, e há opiniões públicas apelando por implantação da OTAN nas águas do Mar Negro. A Rússia precisa acompanhar atentamente o desenrolar da situação e tomar meios militares para lidar com as ameaças resultantes.

Alexander Grushko disse que, atualmente, tanto a Rússia como a OTAN prestam muita atenção ao diálogo político, que já começou sob o quadro do Conselho OTAN-Rússia. Nos diálogos anteriores, a Rússia formulou uma série de propostas à OTAN em relação ao alívio das tensões em algumas áreas da Europa e à eliminação dos perigos de guerras, "a resposta da OTAN a estas propostas vai revelar se a Organização pretende ou não normalizar as relações com a Rússia".

Biden diz que EUA estão comprometidos com suas obrigações com a OTAN¹

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, garantiu aos países bálticos nesta terça-feira que seu país irá respeitar a promessa da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) de protegê-los e disse que os comentários em sentido contrário do candidato presidencial republicano Donald Trump não deveriam ser levados a sério.

A visita de Biden acontece em um momento de tensões elevadas com a Rússia na região, e Trump insinuou que, caso seja eleito, poderia abandonar o compromisso da Otan de defender automaticamente todos os membros da aliança.

"Quero deixar absolutamente claro a todos os povos dos Estados bálticos: comprometemos nossa honra sagrada, os Estados Unidos da América..., ao tratado da Otan e ao Artigo 5", disse Biden na capital da Letônia.

Biden repudiou os comentários de Trump e disse que o comprometimento bipartidário com a Otan é predominante nos EUA.

"O fato de que ocasionalmente se ouve algo de um candidato presidencial do outro partido não é... nada que deva ser levado a sério", afirmou o vice.

Em julho, líderes da OTAN concordaram em enviar forças militares aos Estados bálticos e ao leste da Polônia pela primeira vez e intensificar as patrulhas aéreas e marítimas para tranquilizar aliados da região preocupados com a ameaça vinda da Rússia.

¹com agência Reuters