COBERTURA ESPECIAL - ONU - Geopolítica

05 de Abril, 2018 - 00:20 ( Brasília )

Minas - Dia Internacional de Alerta e Ação sobre Minas.



Redação DefesaNet
Agência ONU


Esta quarta-feira, 4 de abril, é o Dia Internacional de Conscientização sobre os Perigos das Minas. Numa mensagem sobre o data, o secretário-geral da ONU disse que “neste mundo turbulento, a ação sobre minas é um passo concreto na direção da paz.”

António Guterres pediu “a todos os governos que forneçam apoios político e financeiro para permitir que a ação contra minas continue, em todos os locais em que é necessária.”

Mais recursos

Na mensagem, Guterres disse que “um volume sem precedentes de minas terrestres e de armas prontas para explodir, contaminam zonas rurais e urbanas, mutilando e matando civis inocentes muito tempo depois de os conflitos terminarem.”

O tema deste ano é “Fazendo avançar a Proteção, Paz e Desenvolvimento”. A ideia é destacar que os setores de manutenção de paz, desenvolvimento sustentável e ajuda humanitária acontecem em continuidade.

O secretário-geral explicou que “a ação sobre minas é vital” porque “estradas sem explosivos permitem que os soldados da paz patrulhem e protejam civis.” Além disso, “quando os campos estão limpos e as escolas e hospitais seguros, a vida normal pode recomeçar.”

 



 



O defensor global da ONU para a Eliminação de Minas e Explosivos, o ator inglês Daniel Craig, também lançou uma mensagem nesta quarta-feira.

O ator disse que “depois de duas décadas de diminuição constante do número de vítimas, os mortos ou feridos por explosivos saltaram para um máximo de 8,6 mil por ano – uma figura inimaginável e quase certamente o número real deve ser bem maior.”

Segundo a Campanha Internacional para Banir Minas Terrestres, que é parceira da ONU, em 2016 morreram 2,089 pessoas devido a esse tipo de armamento. Este foi o número mais alto desde 1999.

Trabalho da ONU

O ator, mais conhecido pelo seu papel de James Bond nos filmes as Série 007, afirmou que “as pessoas têm necessidade urgente de proteção de explosivos e do legado mortal que deixam atrás de si.”

Daniel Craig lembrou ainda o trabalho do Serviço de Ação de Minas da ONU, UNMAS.  Segundo ele, “seja removendo minas enterradas em Gaza, munições no Afeganistão, ou dispositivos improvisados no Iraque”, a agência da ONU “continua e vai continuar a fazer o seu incrível trabalho. ”

O britânico pediu ainda que as pessoas encontrem “uma forma de trabalhar juntas para erradicar este flagelo da guerra, e cumprir o objetivo de estar livre destas ameaças até 2025.”

Colômbia

Embora não mencionado a maior Guerra de Minas em curso é na América Lartina. O longo período da Guerra Interna contra os Narcotraficantes das FARC e ELP deixou um rastro de destruição e vítimas, civis e militares.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos afirmou: “Tenemos la brigada de desminado más grande del mundo, con 7 batallones. Hoy sigue creciendo, con una brigada y 5 batallones más. Esta es una labor costosa, que toma tiempo, y que ya muestra avances históricos.”

Antigas conflitos como Chile x Argentina, Chile x Bolívia e vários na América Central deixaram como herança grandes quantidades de campos minados.

 
 


 

 

Cartaz das Forças de Defesa da Colômbia



 



Outras coberturas especiais


CCT

CCT

Última atualização 19 OUT, 14:30

MAIS LIDAS

ONU