11 de Fevereiro, 2011 - 12:00 ( Brasília )

Petrobras aprova contratação para 1º lote de sondas

A Petrobras informou hoje que aprovou a contratação para construção e afretamento do primeiro lote de sete sondas a serem construídas no Brasil.

SÃO PAULO - A Petrobras informou hoje que aprovou a contratação para construção e afretamento do primeiro lote de sete sondas a serem construídas no Brasil, conforme a Agência Estado antecipou ontem. O vencedor do contrato de construção foi o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), localizado no Estado de Pernambuco. O valor do lote foi de US$ 4,637 bilhões, o que corresponde, segundo a estatal, a uma redução de US$ 13 milhões em relação à proposta original, e preço unitário de US$ 662,4 milhões. A previsão de entrada em operação da primeira sonda é 2015.

Esse lote faz parte dos processos de licitação destinados à contratação de até 28 sondas de perfuração marítima para atendimento do programa de perfuração de longo prazo da empresa, prioritariamente para utilização nos poços do pré-sal. O contrato de afretamento será realizado com a Sete Brasil S.A (Sete BR), que assumirá o contrato de construção com o EAS.

A Sete BR é uma empresa constituída pelo Fundo de Investimentos em Participações (FIP Sondas), gerido pela Caixa Econômica Federal, que detém 90% da empresa e terá como quotistas investidores de mercado, incluindo fundos de pensão e bancos de investimentos brasileiros. A Petrobras deterá 10% das ações da nova empresa.

A Sete BR admitirá como parceiras e coproprietárias dos navios-sondas empresas com experiência operacional para efetuar a operação das sondas na prestação dos serviços contratados pela Petrobras. De acordo com o comunicado da estatal, a taxa diária de afretamento correspondente ao equipamento já foi definida e, quando adicionada à taxa média vigente para operação do mesmo, totaliza um custo entre US$ 430 mil e US$ 475 mil por dia, em linha com as taxas mais competitivas do mercado internacional.

A Sete BR, para financiar a construção das sondas, contará com o capital próprio, provido pelos sócios e com recursos de financiamento de longo prazo concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que irá financiar a parcela correspondente ao conteúdo brasileiro de bens e serviços para construção de cada sonda, além de recursos provenientes das agências de fomento à exportação dos países que fornecerão o conteúdo a ser importado e dos bancos comerciais.

"Os financiadores terão em seu benefício uma garantia de performance contratada pelo estaleiro EAS e uma garantia de crédito contratada pela Sete BR, ambas fornecidas pelo Fundo Garantidor da Construção Naval (FGCN), que teve sua capacidade especialmente ampliada para fazer frente a este tipo de garantia", informa a Petrobras no comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Também foi decidido pelo cancelamento da licitação para contratação de até duas sondas de perfuração, porque os preços apresentados "não se mostraram adequados para a companhia". O terceiro processo licitatório, destinado à contratação do afretamento de lotes de até 4 sondas de perfuração, ainda encontra-se em análise, com expectativa de conclusão em até 30 dias.