07 de Fevereiro, 2013 - 08:13 ( Brasília )

Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Xingu” é incorporado à Armada da Marinha do Brasil


No dia 29 de janeiro, foi realizada na Base Naval de Val-de-Cães, em Belém (PA), a cerimônia de Batismo, Mostra de Armamento e Transferência para o Setor Operativo do Aviso Hidroceanográfico Fluvial (AvHoFlu) “Rio Xingu”, incorporando-o à Marinha do Brasil. Ele é o segundo de uma série de quatro navios da Classe “Rio Tocantins”. O primeiro foi entregue à Marinha, em 27 de julho de 2012, e os demais chegarão ainda este ano.

Presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, a cerimônia contou com a presença do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Gilberto Max Roffé Hirschfeld; do Comandante do 4º Distrito Naval, Vice-Almirante Ademir Sobrinho; e do Diretor de Engenharia Naval, Contra-Almirante (EN) Francisco Roberto Portella Deiana, representando o Diretor-Geral do Material da Marinha.

A tradicional quebra do champanhe no casco do navio foi o ponto alto do evento, cujo dispositivo foi acionado pela madrinha do AvHoFlu, Sra. Mariza Werneck Hirschfeld, simbolizando seu batismo.

Durante a cerimônia, o Chefe do Estado-Maior da Armada, o Comandante de Operações Navais, o Comandante do 4º Distrito Naval, o Diretor de Engenharia Naval e o Comandante do navio, Capitão-Tenente Leandro dos Santos Novaes, assinaram, a bordo, o Termo de Armamento. Na ocasião, as autoridades presentes também assinaram o Livro do Navio.

Em seguida, a placa alusiva à incorporação do meio à Armada foi descerrada pela madrinha, pelo Almirante-de-Esquadra Wiemer, pelo Almirante-de-Esquadra Max e pelo Capitão Tenente Novaes. Ao final do evento, o Capitão-Tenente Novaes recebeu a estrela de Comando das mãos de sua esposa e maquetes do AvHoFlu “Rio Xingu” foram entregues às autoridades navais e aos proprietários do estaleiro INACE, construtor do navio.

O AvHoFlu “Rio Xingu” destina-se à execução dos levantamentos hidroceanográficos em águas interiores da Bacia Amazônica, com a finalidade da atualização contínua da cartografia náutica das principais hidrovias da região, o que possibilitará melhoria na segurança da navegação.