11 de Outubro, 2012 - 10:00 ( Brasília )

Ágata 6 - Navios da Marinha do Brasil suspendem para operação


A Marinha do Brasil por meio do Comando do 6° Distrito Naval participa da Operação Ágata 6, entre os dias 09 a 22 de outubro, em uma ação do Ministério da Defesa com o propósito de fortalecer a presença das Forças Armadas na região de fronteira para reduzir a criminalidade e a aumentar a segurança do povo brasileiro.

Fazem parte da Operação a Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira, em parceria com a Polícia Federal, Força Nacional de Segurança Pública, Receita Federal entre outros órgãos que atuarão na fronteira entre Bolívia, Colômbia e Peru. A área da operação abrange os Estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Na Operação Ágata 6, serão reunidas tropas, equipamentos, veículos, embarcações e aeronaves das Forças Armadas. A Força Naval Componente realizará diversas atividades, destacando o controle de área fluvial; controle do tráfego aquaviário; patrulha naval; inspeção naval; ação cívico sociais entre outras.

O Comando do 6° Distrito Naval participa da operação empregando diretamente 300 homens, navios do Comando da Flotilha de Mato Grosso, aeronave UH-12 Esquilo, do 4° Esquadrão de Emprego Geral, embarcações da Capitania Fluvial do Pantanal e do Serviço de Sinalização Náutica do Oeste, além de um Grupo-Tarefa composto por militares do Grupamento de Fuzileiros Navais.

Os navios que integram a Força Naval Componente suspenderam da Base Fluvial de Ladário, nos dias 07 e 08 de outubro, onde se encontram na área de operações: Monitor Parnaíba (U17), Navio de Transporte Fluvial Paraguassu (G15), Navio de Apoio Logístico Fluvial Potengi (G17), Aviso de Transporte Fluvial Piraim (U29), Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano (U28), Navio-Patrulha Penedo (P14), Navio-Patrulha Poti (P15) e Navio-Patrulha Piratini (P10).

Como parte das atividades, o Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano realizará assistência médico-hospitalar, odontológica e sanitária às populações ribeirinhas do Rio Paraguai na Lagoa Gaíva (Km 1775) e Forte Coimbra (Km 1321).