30 de Agosto, 2012 - 12:10 ( Brasília )

Peça de submarino fabricada em Cataguases

Indústria poderá somar mais de R$ 7,5 bi em oportunidades de negócios com a Marinha

A indústria mineira poderá somar mais de R$ 7,5 bilhões em oportunidades de negócios com a Marinha do Brasil. Em visita à sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) na segunda-feira, o comandante Júlio Soares de Moura Neto garantiu que dará preferência ao parque industrial nacional para a construção de seis submarinos movidos por propulsão nuclear e 15 convencionais, à bateria, abrindo o mercado para Minas Gerais.

A metalúrgica Zollern, de Cataguases (a 120 quilômetros de Juiz de Fora), está entre as 15 empresas citadas por Moura Neto como possíveis fornecedores. De acordo com o diretor geral da companhia, Ronaldo Fraga, o pedido para a fabricação de mancais (estrutura para apoio de eixos deslizantes) para quatro submarinos, no valor de R$ 2,15 milhões, foi feito há um mês, e a primeira entrega está prevista para outubro de 2013.

Se a Marinha der continuidade ao programa de investimentos e aos contratos com a DCNS, com certeza seremos candidatos a manter a parceria", declarou Fraga, referindo-se à estatal francesa que irá cooperar com a construção dos equipamentos, fazendo transferência de tecnologia para o Brasil. Moura Neto enumerou outras compras no horizonte da Marinha, como navios de propósitos múltiplos, aeronaves, helicópteros, carros-anfíbios e de combate, que necessitam de uma série de itens que podem ser fabricados em Minas. Segundo o comandante, há oportunidades nos setores elétrico-eletrônico, de telecomunicações, de mecânica, de motores e de propulsores. Ele ressaltou, ainda, a abertura de mercado internacional que os negócios com a Marinha podem trazer para o estado, já que os fornecedores da corporação entram em um cadastro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). (Tribuna de Minas/MG)