07 de Agosto, 2012 - 10:40 ( Brasília )

ÁGATA 5 - Navios, embarcações e aeronaves do Comando do 5º DN e do Comando do 6º DN iniciam suas ações


A Marinha do Brasil iniciou, nesta segunda-feira, 6 de agosto, nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul, sua participação efetiva na Operação “Ágata 5”. Os Estados são áreas de Jurisdição dos Comandos do 5º (RS, SC e PR) e 6º Distritos Navais (MS).
 

O Com5ºDN integra a Força Naval Componente empregada na operação, destacando os seguintes meios para as atividades de Patrulha e Inspeção Naval: o Rebocador de Alto-Mar “Tritão”(R21), o Navio-Patrulha “Babitonga” (P63), as lanchas da Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul, da Capitania Fluvial do Rio Paraná e das Delegacias Fluviais de Uruguaiana e de Guaíra.
 

A atuação da Marinha do Brasil durante a operação vai além do controle da Área Marítima, Patrulha e Inspeção Naval nos mares, rios e lagos da região. As aeronaves do 5º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral realizarão patrulhamento, missões de socorro, salvamento e de evacuação aeromédica.
 

Além disso, um destacamento do Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande será empregado durante toda a operação.
 

O Comando do 6° Distrito Naval empregará na operação os navios do Comando da Flotilha de Mato Grosso, além de um Grupo-Tarefa de militares do Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário.
 

A “Ágata 5” é realizada em conjunto com as três Forças Armadas, Marinha, Exército e Força Aérea, e conta com o apoio do Ministério da Justiça, Ministério das Relações Exteriores, Ministério de Minas e Energia, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Integração Nacional, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ministério da Saúde, Ministério da Pesca e Aquicultura, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Secretaria da Receita Federal, Departamento Nacional da Produção Mineral, Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Fundação Nacional do Índio, Agência Nacional de Aviação Civil e outros órgãos estaduais e municipais dos Estados abrangidos pela operação.

Todas as ações serão coordenadas pelo Ministério da Defesa.