25 de Julho, 2012 - 18:25 ( Brasília )

Olimpíada - COB troca Marinha pelo Weathers Commanders


SÉRGIO RANGEL
ENVIADO ESPECIAL A LONDRES


Modalidade que mais conquistou medalhas para o Brasil na história olímpica, a vela vai contar com uma ajuda norte-americana em Londres.

O COB contratou a Weather Commander's para fazer uma mapeamento meteorológico aos atletas nacionais. Até então, o trabalho era realizado pela Marinha do Brasil.

Dois funcionários da empresa dos EUA desembarcarão na quinta-feira na Inglaterra para definir junto com os velejadores brasileiros as estratégias durante as regatas. Há dois anos, eles estão monitorando a raia de Weymouth para as provas.
 
O trabalho dos norte-americanos pretende antecipar para os atletas as condições do mar (vento, marés, chuvas etc.) nos dias das regatas por pelo menos 24 horas.

A Weather Commander's tem um sofisticado esquema de boias na raia inglesa, que transmite as informações a cada hora para um satélite. De lá, os dados são mandados para a equipe brasileira.

"Com isso, já temos as informações da raia dos últimos anos. Para os Jogos Olímpicos, vamos ter a orientação do vento, a variação das marés e até a previsão de uma mudança nas condições climáticas durante a prova", afirmou Jorge Bichara, responsável pela equipe de ciência do esporte do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

"A Marinha sempre nos deu bom suporte, mas entendemos que o serviço da empresa norte-americana seria melhor agora", acrescentou.

A Weather Commander's é uma empresa especializada em previsão do tempo para competições náuticas. Ela dá suporte também para a equipe britânica na Olimpíada e a alguns times que participam da America's Cup, a mais tradicional competição oceânica do planeta.

A vela é uma das principais esperanças da delegação brasileira nos Jogos de Londres. Em toda a história olímpica, a modalidade conquistou 16 medalhas para o país.

Além disso, o velejador Robert Scheidt pode se tornar o maior medalhista olímpico do país. O atleta tem dois ouros e duas pratas. Atualmente, o líder é o também velejador Torben Grael, que soma cinco medalhas (duas de ouro e três de bronze). Grael não disputa os Jogos de Londres. Por falta de patrocínio, ele desistiu de buscar a vaga para a Olimpíada. Já Scheidt é favorito na classe star. As provas começam no domingo.

Fora da classe star, o Brasil tem chance de ouro com Ricardo Winicki, o Bimba. Ele vai competir na classe RS:X, semelhante ao windsurfe.