25 de Junho, 2012 - 10:54 ( Brasília )

“Joker” da Marinha indiana passa testes

O Vikramaditya, novo porta-aviões da Marinha indiana (antigo navio soviético Admiral Gorshkov), está a ser testado no mar Branco. Até o fim do ano, a nave deve partir à Índia.

O cruzador porta-aviões pesado Admiral Gorshkov, construído na cidade de Nikolaev no quadro do projeto 1143, foi o quarto e o último navio do topo Kiev. A construção dos cruzadores do projeto 1143 começou em julho de 1970. O Kiev, primeiro navio do projeto, começou a ser construído nos estaleiros do mar Negro. A construção do quarto navio, da série Baku, futuro Admiral Gorshkov, começou passados oito anos.

A desintegração da URSS impediu os planos da modernização do porta-aviões, segundo os quais o navio deveria receber aviões sofisticados Yak-41. Em 1992, o Admiral Gorshkov passou a ser reparado. Em fevereiro de 1994, o cruzador sofreu duas grandes avarias: um incêndio e uma explosão da tubulação de vapor. Já ninguém falou da possibilidade de pôr novamente o navio em exploração.

A possível venda do navio à Índia começou a ser discutida no fim dos anos 90. Na mesma altura, surgiram os planos de reformá-lo num porta-aviões clássico capaz de alojar 20-25 aviões MiG-29. O contrato de venda do porta-aviões foi assinado em 2004. Segundo o documento, a Rússia comprometia-se por 1,5 mil milhões de dólares a entregar à Índia o navio com caças de coberta e a preparar a tripulação. Na Marinha indiana, ao Admiral Gorshkov foi atribuído o nome de Vikramaditya, um dos heróis históricos do país.

Na composição da Força Naval da Índia, o navio russo deve substituir o porta-aviões Viraat, antigo HMS Hermes britânico, construído em 1959, comprado pela Índia em 1985. O Viraat, se for substituído pelo Admiral Gorshkov, completará na totalidade 51 anos de serviço. O Admiral Gorshkov foi construído em 1987. Qual será o seu destino em 2038?

É impossível responder a esta pergunta, mas já é evidente que hoje o navio é um “Joker” de pleno valor para a Marinha indiana. O Admiral Gorshkov com MiG-29 na coberta garante supremacia à Força Naval da Índia em relação aos seus vizinhos, em primeiro lugar ao Paquistão, seu eterno oponente. Contudo, não está claro o potencial de navios chineses por causa da capacidade duvidosa da indústria aérea da China de desenvolver um caça de coberta eficaz, utilizando como protótipo um Su-33 experimental soviético comprado à Ucrânia.

Resumindo, a única Força Naval que supera consideravelmente a Marinha indiana na região é a Força Naval dos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, os EUA precisam muito de apoio da India no caso da possível confrontação com a China.

Resta adivinhar de que lado estará o “Joker” indiano e em que carta de jogar ele se transformará no final.