31 de Maio, 2012 - 11:30 ( Brasília )

EAS - Governo Federal busca parceiros no Japão


Diário de Pernambuco 31 Maio 2012

Embora o presidente da Transpetro, Sérgio Machado, tenha afirmado ao Diario que a subsidiária de transportes da Petrobras não intervirá na escolha do futuro parceiro tecnológico do Estaleiro Atlântico Sul (EAS), o governo federal já começou a estreitar os laços com o Japão, um dos países que possuem expertise na fabricação de navios.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, reuniu-se ontem (29), em Tóquio, com autoridades governamentais e empresariais do país asiático em busca de investimentos para projetos brasileiros em portos, aeroportos, rodovias e indústria naval.

Em palestra para representantes de 47 empresas no Keidanren - a confederação da indústria local -, Pimentel destacou as oportunidades de negócios no Brasil e falou do objetivo governamental de atrair mais indústrias, além de “abrir caminho” para que as empresas estrangeiras já instaladas no país ampliem seus investimentos. De acordo com a Agência Brasil, o presidente da Keidanren, Hiromasa Yonekura, afirmou que o interesse japonês pelo Brasil é crescente.

Segundo Pimentel teria afirmado à agência, nos próximos seis a oito anos o Brasil necessitará de aproximadamente 500 embarcações, entre navios de apoio e sondas de perfuração flutuante para exploração de petróleo na camada de pré-sal, e “o Japão dispõe de tecnologia que poderia nos ser muito útil”. Pimentel disse ainda que o ministro japonês dos Transportes, Takashi Maeda, manifestou interesse de seu país participar dos projetos.

No último domingo (28), apenas dois dias depois de o petroleiro João Cândido ser lançado ao mar, a Transpetro anunciou a suspensão do contrato com o EAS para a construção de 16 dos 22 navios contratados através do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). A contratante exige que o Estaleiro Atlântico Sul encontre até o dia 30 de agosto um novo parceiro tecnológico para cumprir com os prazos acordados.

Os sócios do empreendimento pernambucano, as construtoras Camargo Corrêa e Queiroz Galvão, não têm experiência no setor naval, o que preocupa a Transpetro, já que a sul-coreana Samsung deixou o negócio.

Embora não se pronuncie sobre o assunto, fontes do setor indicam que o EAS tem mantido conversações mais avançadas com as japonesas Mitsui, associada à IHI (Ishikawajima-Harima Heavy Industries), e a Mitsubishi. O presidente da Mitsubishi Corporation, Ken Kobayashi, aliás, também constava na agenda de reuniões do ministro no Japão.

Hoje, quinta-feira (31), Pimentel chega a Seul, na Coreia do Sul, onde se reúne com autoridades governamentais e empresários. O ministro cumpre agenda de trabalho com Hong Sukwoo, ministro da Economia e do Comércio, e com Bahk Jaewan, ministro de Estratégia e Finanças. Além disso, ele tem encontro marcado com In Sik Roh, presidente da Samsung Heavy Industries; Chung Eui-Sun, vice-presidente e CEO da Hyundai; e com Chung Joon-Yanng, presidente da companhia de aço e ferro Pohang, ou Posco, na sigla em inglês.