25 de Maio, 2012 - 09:07 ( Brasília )

Defesa inicia preparos para a troca do contingente brasileiro na FTM/Unifil


O Ministério da Defesa (MD) iniciou os trâmites para a troca do contingente brasileiro que integra a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM/Unifil). Para tanto, realizou reuniões com militares que vão participar da Força-Tarefa Marítima (FTM) liderada pelo Brasil. Os encontros aconteceram ontem (23) e hoje, na sede do ministério.

Ao abrir o evento, o vice-chefe de Operações Conjuntas do MD, major-brigadeiro-do-ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira, enfatizou a importância da contribuição brasileira na missão. “É uma projeção que o Brasil está tendo no mundo”, disse. “Embora seja uma missão de paz, [a tarefa] não é fácil”, completou, ressaltando a responsabilidade que é atuar sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante as reuniões, os participantes tiveram a oportunidade de assistir a um briefing de oficiais militares e de diplomatas brasileiros sobre o cenário atual do Líbano. As palestras abrangeram desde temas como os “aspectos sanitários” do contingente e preparo e emprego do navio, até a situação política libanesa e os principais desafios que o 4º contingente pode enfrentar.

Na oportunidade, os novos integrantes também estabeleceram contato via videoconferência com a tripulação da Fragata Liberal, que se encontra atualmente no Líbano. A reunião permitiu que o vice-almirante Luiz Henrique Caroli – primeiro oficial da Marinha a exercer o comando de uma missão de paz das Nações Unidas, e que hoje é o subchefe de Operações Conjunto do MD – trocasse “experiências” com os novos componentes.

FTM/Unifil

Esta será a segunda troca do contingente em 2012. No início do ano, ocorreu a primeira entre as Fragatas F-45 União – que estava no Líbano desde o ano passado – e a Fragata F-43 Liberal, que chegou em território libanês no dia 10 de maio e permanecerá até novembro, quando vai ser substituída pela Fragata F-42 Constituição.

O rodízio ocorre de seis em seis meses. Atualmente, a FTM é comandada pelo contra-almirante Wagner Lopes de Moraes Zamith, que assumiu a missão em fevereiro deste ano.

Até novembro, a nova tripulação vai passar por todo um processo de preparo em termos de condições intelectuais, psicológicas e físicas. A F-42 também será devidamente aparelhada com sistemas operativos, particularmente o de comando e controle, para uma melhor comunicação entre a fragata e o Ministério da Defesa.

Criada pela ONU, a Unifil desde 1978 atua na retirada de tropas israelenses do território, que atualmente conta com o apoio de contingentes de 36 países. Somente em 2006 a FTM passou a fazer parte da missão com a finalidade de impedir a entrada de armamento no país pela interdição marítima.

Nesta semana, o ministro da Defesa, Celso Amorim, visitou Beirute, no Líbano, para marcar os primeiros seis meses do comando brasileiro da FTM. Ele acompanhou a substituição da Fragata União pela Liberal.