14 de Março, 2012 - 09:08 ( Brasília )

Programa Nuclear da Marinha representa um marco no enriquecimento de urânio no Brasil


A Marinha do Brasil inaugurou, no dia 16 de fevereiro, nas dependências do Centro Experimental ARAMAR (CEA), a Unidade Piloto de Hexafluoreto de Urânio (USEXA) e o Centro de Instrução e Adestramento Nuclear de Aramar (CIANA). Com isso, o Brasil deu mais um passo para consolidar o ciclo de combustível nuclear.

O evento contou com a presença do Ministro da Ciência e Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, do Diretor-Geral do Material da Marinha, Almirante-de-Esquadra Arthur Pires Ramos, do Diretor-Geral do Pessoal da Marinha, Almirante-de-Esquadra Luiz Fernando Palmer Fonseca, e de autoridades civis e militares.

As inaugurações representam uma etapa importante no Programa Nuclear da Marinha, tendo em vista a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro. Além de tratar-se de um marco para o País na consolidação do Ciclo do Combustível Nuclear, demonstra a viabilidade da tecnologia brasileira para a produção de combustível nuclear para as usinas de geração de energia.

Para o Ministro da Ciência e Tecnologia e Inovação, o trabalho em conjunto dos laboratórios e um centro de treinamento é de fundamental importância para que todos os requisitos exigidos na atividade nuclear possam ser atendidos. “Isso mostra que a Marinha do Brasil está desenvolvendo um excelente trabalho para cumprir todas essas exigências.”

Como destacou o Comandante da Marinha, a inauguração da USEXA significa um passo concreto muito importante para o desenvolvimento da tecnologia nuclear. “Inauguramos a primeira das quatro fábricas, a última delas será inaugurada no final do ano. Então, o ciclo do combustível nuclear estará completo, com uma produção que atende a Marinha em 40 toneladas por ano.”

Unidade Piloto de Hexafluoreto de Urânio – USEXA

Com um índice de nacionalização de cerca de 80%, a USEXA é uma unidade piloto, onde se converte o minério beneficiado de urânio (yellow cake) em hexafluoreto de urânio (UF6) gasoso. Em síntese, a conversão de urânio é um conjunto de processos físicos e químicos que versam sobre a transformação de compostos de urânio, onde UF6 é o produto final e insumo para as usinas de enriquecimento isotópico.

O início da operação da USEXA representa, assim, mais um marco alcançado no desenvolvimento de tecnologia nuclear no Brasil.

Centro de Instrução e Adestramento Nuclear de Aramar - CIANA

Em virtude da necessidade de possuir um Centro capaz de prover a formação adequada dos futuros operadores do Laboratório de Geração Núcleo Elétrica (LABGENE) e das futuras tripulações dos Submarinos Nucleares Brasileiros (SN-BR), a Marinha construiu o CIANA, totalmente voltado para a formação de pessoal.

O propósito principal dessa gama de estudos e treinamentos é capacitar os alunos para obtenção da licença de Operação do LABGENE a ser concedida pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), após terem sido aprovados em conjunto de provas teóricas e práticas.