08 de Fevereiro, 2012 - 11:37 ( Brasília )

Seis submarinos e um porta-aviões por ano para bater o recorde soviético


Vice-primeiro-ministro afirmou que completará programa estatal de armamentos até 2020, com oito submarinos nucleares de quarta geração do tipo Borêi.

Em 2013 a indústria bélica estatal russa atingirá a produção anual de seis submarinos e uma porta-aviões, declarou na última
 sexta-feira (3) o vice-primeiro-ministro Dmítri Rogózin.

De acordo com Rogózin o complexo industrial bélico russo construirá submarinos nucleares estratégicos, assim como diesel-elétricos.

Com isso, a produção bélica do país superará a da era soviética, quando se construíam 
no máximo cinco submarinos por ano.

O recém-empossado vice-premiê afirmou também que completará o programa estatal de armamentos até 2020, construindo oito submarinos nucleares estratégicos de quarta geração do tipo Borêi.

Os Borêi são portadores dos novos mísseis balísticos mar-baseados Bulava. O Borêi "Iúri Dolgorúki" já está em fase de testes no mar, e mais três já estão sendo construídos.

 

Bombardeiros Tu-160M

A  Força Aérea  da Rússia planejam receber até 2020 mais de 10 bombardeiros estratégicos Tu-160M, segundo informou nesta terça-feira, 7, seu representante, tenente Vladimir Drik. “Atualmente, o modelo já está sendo modernizado no complexo militar-industrial responsável pela sua produção.

O avião será munido com um novo sistema de armamento que lhe permitirá o uso de mísseis de cruzeiro avançados e armamentos de bombardeio. Os equipamentos radioeletrônicos passarão por uma completa modernização.” Os especialistas preveem que a eficácia de combate do Tu-160 será aumentada em até duas vezes.

O modelo foi introduzido nas Forças Armadas Aéreas da Rússia em 1987, e é um promissor complexo de aviação de longo alcance. A aeronave é capaz de levar até 40 toneladas de armamentos de bombardeio a uma velocidade de 2.200 km/h, percorrendo distâncias de até 14000 km. A bordo da aeronave já foram estabelecidos 44 recordes mundiais. Em junho de 2012, o Tu-160 realizou um voo a uma distância de 18 mil Km com apenas duas recargas de combustível. A duração do voo foi de aproximadamente 23 horas.