14 de Dezembro, 2011 - 09:08 ( Brasília )

Donos de navios na China querem Vale longe

Depois de cargueiro da mineradora ter rachado, associação pede que governo chinês reavalie segurança para dar acesso a portos

XANGAI. A associação de donos de navio na China pedirá ao governo daquele país que cuidadosamente reavalie a segurança dos supernavios da Vale antes de permitir o acesso aos portos nacionais, porta de entrada para o maior mercado da produtora brasileira de minério de ferro.

A associação afirmou que os Valemax, que têm capacidade para transportar 400 mil toneladas e são os maiores graneleiros do mundo, não foram rigorosamente testados e podem ser uma ameaça à segurança.

A indústria tomou essa decisão dez dias depois de o navio Vale Beijing - afretado à Vale pela sul-coreana STX Pan Ocean - ter rachado no terminal marítimo de Ponta da Madeira, no Maranhão, antes mesmo de partir em sua primeira viagem. "Esses supernavios foram construídos recentemente (...) e não se tem certeza ainda de que podem enfrentar variadas condições marítimas", afirmou o grupo à Reuters, em e-mail. "Se houver algum vazamento de combustível, a poluição será catastrófica", acrescentou a associação.

Donos de navios temem monopólio da Vale na China O Vale Beijing é um dos primeiros dos 35 supernavios comissionados pela Vale, que estava apostando nesses cargueiros para diminuir os custos do frete e competir melhor com suas concorrentes australianas, como BHP Billiton e Rio Tinto.

A China ainda não abriu os portos para os supernavios. Influentes donos de embarcações estão fazendo lobby para que Pequim mantenha os supernavios longe dos portos, temendo que a Vale use a frota para monopolizar o transporte via cargueiros.