06 de Dezembro, 2011 - 08:52 ( Brasília )

Marinha investigará caso do navio da Vale

Equipe da STX tentará consertar rachadura que causou vazamento em tanque

Danielle Nogueira

A sul-coreana STX confirmou ontem à agência de notícias Bloomberg ter identificado um vazamento em um dos tanques do lastro do navio Vale Beijing, que está ancorado desde sexta-feira passada no terminal marítimo Ponta da Madeira (MA), de propriedade da Vale. Segundo fontes, a empresa asiática vai enviar uma equipe de engenheiros ao Brasil para investigar o ocorrido e consertar o problema ainda esta semana. Paralelamente, a Marinha brasileira também produzirá um relatório sobre o incidente.

O problema foi diagnosticado quando o navio, avaliado em US$110 milhões, estava sendo carregado com minério de ferro. Não se tem notícia de que o minério esteja vazando, mas o problema no lastro pode desequilibrar a embarcação, fazendo-a afundar. Daí a gravidade da situação. Durante todo o dia de ontem, a Vale não deu informações sobre o caso.

À noite, emitiu nota dizendo que "espera que o navio seja removido nas próximas horas para uma área de fundeio onde, com segurança, novas ações sejam tomadas pela empresa responsável". A companhia não informou se a movimentação de Ponta da Madeira, por onde ela escoa o minério de ferro de Carajás, foi afetada pelo incidente.

Com capacidade para 400 mil toneladas e 361 metros de comprimento, o Vale Beijing é um dos maiores graneleiros do mundo. Ele é o primeiro de uma série de oito navios encomendados pela Vale à STX Pan Ocean, unidade do grupo STX que opera embarcações. Os oito navios serão afretados à mineradora brasileira por 25 anos. O Vale Beijing foi entregue à STX Pan Ocean no último 27 de setembro. Os outros serão entregues até 2013. Todos eles serão construídos pela STX Offshore & Shipbuilding, outra unidade do grupo sul-coreano.

O valor total da encomenda é de US$5,8 bilhões e faz parte do esforço da Vale de reduzir o frete para a China, seu principal mercado.


Nota DefesaNet

O VALE BEIJING é um navio da classe  VLOC (Very Large Ore Carrier – mineraleiro de grande porte), e lançado ao mar em  27 Setembro 2011. Construído para a STX Offshore & Shipbuilding’s Jinhae Shipyard, da Coréia do Sul, o navio tem:  361m de comprimento, 65m largura e 30,5m altura, e desloca 400.000 t.,
 
Com um contrato de longo prazo com a Vale, em 2009, a STX Pan Ocean encomendou oito navios mineraleiros (VLOC) da classe de  400.000 t. O  Vale Beijing foi o primeiro da classse a ser entregue a STX Pan Ocean. Os restantes  sete VLOCs serão entregues a  STX Pan Ocean nos anos  2011(1), 2012 (4) e  2013 (3).
 
Quando  receber estes mineraleiros a STX Pan Ocean terá uma frota  de 84 navios e opera cerca de 380 navios arrendados.

 

Vale recebe o maior navio mineraleiro do mundo 06 Maio 2011 Link